Scania será fornecedora exclusiva para novo BRT do México

ônibus

Ônibus Scania Neobus vão operar com exclusividade em novo sistema de BRT no México. Foto: Divulgação Scania.

Scania será fornecedora exclusiva de novo BRT do México
Corredor Intermunicipal deve atender 211 mil passageiros por dia
ADAMO BAZANI – CBN
A Scania anunciou nesta quinta-feira, dia 29 de maio de 2014, que será fornecedora exclusiva de ônibus para o início das operações de um novo sistema de corredores de ônibus – BRT – no México.
O BRT Linha 2 da Mexibús deve começar a operar em setembro. O sistema vai ter extensão de 21,3 quilômetros e 42 estações intermediárias, além de duas estações de transferência intermodal.
A estimativa é que sejam atendidos 211 mil e 100 passageiros por dia. O corredor será intermunicipal e deve ligar as cidades de Ecatepec, Coacalco e Tultitlán.
Todos os 62 ônibus que vão começar a operar no sistema são da Scania com carroceria Neobus, modelo Mega BRT. Deste total, 52 são veículos articulados de 18,15 metros K360 IA6x2/2 Euro 5 e 10 ônibus serão de 15 metros – 3 eixos – K310 IB 6×2*4 Euro 5.
O pacote adquirido pela Mexibús inclui um programa de manutenção dos veículos válido por todo o ciclo de uso dos ônibus. “Os 62 ônibus receberão serviços nos terminais da Mexibús, com atendimento de técnicos da Scania especializados”. – diz a Scania em nota.
A Scania opera ônibus nos sistemas Optibús em León (Guanajuato) e Metrobús, na Cidade de México.
A empresa também vai ser responsável pela manutenção de todos os ônibus do Optibús, de León, num total de 360 veículos, incluindo as outras marcas.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

Dilma deve sancionar Medida Provisória que pode colocar fim aos entraves à licitação da ANTT

ônibus

Ônibus interestadual. Medida Provisória pode colocar fim às polêmicas da licitação de linhas interestaduais e internacionais pela ANTT. Foto: Adamo Bazani.

Dilma deve sancionar Medida Provisória do Congresso que pode por fim às polêmicas sobre a licitação da ANTT
Câmara aprovou MP que substitui concessão ou permissão de linhas de ônibus para sistema de autorização
ADAMO BAZANI – CBN
As polêmicas a respeito da licitação de cerca de duas mil linhas de ônibus interestaduais e internacionais pela ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres podem caminhar para o fim por outros meios.
Desde 2008, a ANTT e as empresas de ônibus não entram em consenso sobre diversos pontos da licitação, como divisão de grupos e lotes, que segundo as empresas quebraria áreas de atuação já criadas pelo mercado há anos, dimensionamento da frota e total da demanda de passageiros.
Pela Constituição Federal, serviços públicos prestados por empresas privadas devem ser regidos por contratos após concorrência pública.
O fim do entrave, no entanto, pode ocorrer depois da sanção da presidente Dilma Rousseff à emenda que foi aprovada neste dia 28 de maio de 2014 pela Câmara dos Deputados.
A presidente tem 15 dias para aprovar ou não a Medida.
A emenda à Medida Provisória 638/14, apresentada pelo Senado Federal, determina que as empresas de ônibus só podem operar linhas interestaduais e internacionais por regime de autorização pela ANTT e não de concessão ou permissão.
As autorizações podem ser alternativas à licitação e levarem em conta mais aspectos regionais, diferentemente da licitação que a trata o sistema como um todo.
Haverá um prazo de cinco anos, se a MP for aprovada, para adaptação das empresas e da ANTT
Acompanhe nota da Assessoria de Imprensa da Câmara:
“Uma das emendas do Senado à Medida Provisória 638/14, aprovada pela Câmara nesta quarta-feira (28), disciplina a concessão de licença para o transporte interestadual e internacional de passageiros. O texto é o mesmo aprovado anteriormente na comissão mista que analisou a MP, segundo o relatório do deputado Gabriel Guimarães (PT-MG). Esse texto estabelece que a outorga de serviço de transporte terrestre regular interestadual e internacional de passageiros será realizada pelo regime de autorização, em vez dos regimes de concessão e permissão, conforme prevê a lei atual (10.233/01). Essa autorização será dada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A mudança, de acordo com o relator, é para acelerar a delegação da atividade de transporte público. “Esse avanço será benéfico para a administração pública, as operadoras dos serviços, os trabalhadores e os usuários, que devem ter tarifas menores pelo aumento de competição”, afirmou Guimarães. A autorização vale, por exemplo, para o transporte por vans. Já o transporte ferroviário e por ônibus interestadual semi-urbano (entre dois estados ou o Distrito Federal em distâncias até 75 km) continuam a ser concedidos por permissão.
Seleção pública
Segundo o texto, dependendo da linha de ônibus, a ANTT poderá criar condições específicas para a autorização do serviço. A agência poderá conceder mais de uma autorização para esse transporte rodoviário a partir de seleção pública, salvo se for inviável operacionalmente.
A ANTT poderá ainda intervir nas autorizações dadas se houver abuso de direito ou infração contra a ordem econômica. A taxa de fiscalização definida é de R$ 1.800 por ano para cada ônibus registrado na agência, que poderá ainda fixar, por até 5 anos a partir da publicação da futura lei, as tarifas máximas e os critérios de reajuste das passagens de ônibus interestadual e internacional.
Atribuições da ANTT
Além da autorização para ônibus interestadual e internacional, o relatório de Guimarães ampliou a atuação da ANTT. A agência ficará responsável por aplicar sanções e decidir sobre infrações e medidas administrativas no setor de transportes. O órgão também definirá os requisitos mínimos para terminais rodoviários e paradas de ônibus interestadual e internacional.
Atualmente, a ANTT autoriza projetos e investimentos nas outorgas feitas pela administração pública.
Segundo a MP, poderá perder o veículo a empresa cujo ônibus for pego, pela segunda vez, em fiscalização da ANTT sem autorização para circular. ”
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , , , | 4 Comentários

Mapa dos Transportes Metropolitanos da Cartilha da PM para turistas tem vários erros

mapa errado

Reprodução de Mapa do Transporte Metropolitano de São Paulo desatualizado. Material faz parte da cartilha que seria distribuída pela corporação a turistas.

Mapa dos transportes em São Paulo que seria distribuído para turistas da Copa tem diversos erros
Impressão custou R$ 67 mil aos cofres públicos. Extensão do Corredor ABD Diadema – Estação Berrini e Linha 4 Amarela para a PM ainda não existem
ADAMO BAZANI – CBN
Se dependesse da Polícia Militar, o turista que tentar usar ônibus, trem e metrô em São Paulo, se perderia com facilidade na Capital e na Grande São Paulo.
A cartilha preparada para turistas pela corporação está desatualizada, foi copiada de um blog de design “Choco La Design”. O custo foi de R$ 67 mil para 300 mil exemplares.
Entre os principais erros estão:
– As linhas da CPTM ainda aparecem denominadas por letras, o que foi extinto entre 2007 e 2008. Desde 2008 as linhas são denominadas por números e cores para se assemelharem ao Metrô. A linha D da CPTM, por exemplo, é a linha 10 Turquesa Rio Grande da Serra – Brás. Pela cartilha da PM, os trens da linha 10 (D) vão até a Luz, sendo que hoje operam até o Brás.
– A linha 4 Amarela do Metrô foi inaugurada em 2010 e hoje tem seis estações. Mas no mapa da PM, aparece ainda em construção.
– A extensão do Corredor Metropolitano de Ônibus ABD, servido pela Metra, entre Diadema e a Estação Berrini da CPTM opera desde 2010, mas para a PM ainda está em obras.
– Pelo mapa que faz parte da cartilha da PM, a antiga linha C da CPTM (hoje linha 9 Esmeralda) só opera ente Osasco e Jurubatuba. Mas desde 2008, as estações Autódromo, Interlagos e Grajaú estão em funcionamento. No mapa aparecem como “em projeto” . Hoje a linha 9 Esmeralda é entre Osasco e Grajaú.
– Entre 2006 e 2007, o trecho entre Chácara Klabin e Alto do Ipiranga, da linha 2 Verde do Metrô começou a operar. No mapa confeccionado para a cartilha da PM, o trecho ainda está em “construção”.
– Ainda na linha 2 Verde do Metrô, as estações Sacomã e Tamaduateí aparecem como “em projeto”, mas elas operam desde 2010.
– A Estação Vila Prudente da Linha 2 Verde do Metrô opera desde 2010 também, mas a inauguração foi em 2010.
– A Ponte ORCA – Operador Regional Coletivo Autônomo entre Vila Madalena (linha 2 Verde) e Cidade Universitária (linha 9 Esmeralda) aparece no mapa da cartilha da PM, mas não opera desde 2011.
– A estação Adolfo Pinheiro da linha 5 Lilás do Metrô foi inaugurada neste ano, mas sequer aparece no mapa.

PM MINIMIZA ERROS:
Em nota à imprensa, a Polícia Militar minimizou os erros e disse que o mapa era apenas complementar a um material dedicado à segurança.
“A Polícia Militar esclarece que o material gráfico produzido com o objetivo de orientar turistas durante o período da Copa do Mundo contém, ao final, uma imagem do mapa de transporte metropolitano da cidade de São Paulo desatualizada.
Como o mapa era apenas uma informação complementar, adicional, não comprometendo o conteúdo principal, que são as dicas de segurança, o problema será reparado com a supressão do conteúdo inserido de maneira equivocada, mantendo-se o principal.
Felizmente, o material ainda não foi distribuído ao destinatário final, o que possibilitará a reparação do conteúdo, sem prejuízo ao turista.
A medida corretiva não apresentará custos adicionais.”
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , , , , | 4 Comentários

Greves de ônibus em São Paulo trouxeram poucas conquistas para trabalhadores

Viação Santa Brígida

Ônibus parados na garagem principal da Viação Santa Brígida na semana passada, onde atua entre os trabalhadores a suposta “ala dissidente” do Sindimotoristas, apesar de o secretário de finanças da unidade, Edivaldo Santiago, ter forte base entre estes funcionários. Haddad classificou algumas greves como oportunistas. Paralisações na Grande São Paulo não alcançaram as conquistas almejadas pelos trabalhadores até agora. Foto: Elaine Freires – Helicóptero/CBN – Reportagem: Adamo Bazani – CBN São Paulo

Greves de ônibus em São Paulo não conquistaram a maior parte das reivindicações dos rodoviários
Na Capital Paulista, o prefeito Fernando Haddad classificou greves como oportunistas e citou paralisação nos serviços de ônibus
ADAMO BAZANI – CBN
A paralisação de motoristas e cobradores de ônibus em São Paulo, que teve início de surpresa na manhã de terça-feira, dia 20 de maio de 2014, e só terminou na quinta-feira, dia 22 de maio, ainda causa insatisfação e reações negativas por parte da administração municipal.
O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, disse nesta quarta-feira, dia 28 de maio de 2014, ao comentar a paralisação de servidores municipais que algumas greves são movimentos “oportunistas” que prejudicam a população.
Ele disse que o direito de greve deve ser respeitado, mas quando há “bons acordos” e mesmo assim são feitas paralisações é porque determinados grupos querem tirar “vantagem” dos trabalhadores e ganharem espaço político e na mídia.
Haddad citou a paralisação dos motoristas e cobradores de ônibus na semana passada em entrevista coletiva.
“Está havendo uma reação contrária, o que está sendo chamado de oportunismo que não leva à nada … O que aconteceu na semana passada (paralisação dos serviços de ônibus) foi repudiado pela sociedade e pela Justiça” – disse Fernando Haddad.
A realização do movimento grevista foi atribuída a uma ala dissidente do Sindimotoristas -Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo.
O grupo não aceitou acordo firmado entre a entidade e o SPUrbanuss – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros.
O acordo, aprovado em assembleia em dia 19 de maio, concedeu reajuste de 10% para os motoristas e cobradores de ônibus. Hoje, um motorista na Capital Paulista recebe R$ 1955 passando para R$ 2150,50, e um cobrador ganha R$ 1130 indo para R$ 1243. Também fez parte do acordo: A licença-maternidade para as mulheres que trabalham no setor passa de quatro meses para seis meses. O reconhecimento de insalubridade para cálculos de aposentadoria, podendo o trabalhador se aposentar com 25 anos de trabalho. O vale-alimentação passa para R$ 445,50 e participação nos lucros e produtividade será de R$ 850. Os dissidentes queriam participação nos lucros de R$ 1600 e aumento salarial entre 22% e 30% e maior valor no ticket alimentação.
No dia 26 de maio de 2014, ao julgar o movimento, por cinco votos a dois, o TRT – Tribunal Regional do Trabalho declarou a paralisação como abusiva.
Foi aplicada uma multa de R$ 200: R$ 100 mil ao SPUrbanuss (sindicato das empresas de ônibus) e R$ 100 mil ao Sindimotoristas (sindicato dos rodoviários). As multas serão referentes aos dias 20 e 21 de maio.
De acordo com a desembargadora-relatora Ivani Contini Bramante, por ser difícil determinar quem participou ou não da paralisação, não serão aplicados descontos nos salários, mas os motoristas terão de repor os dias trabalhando.
NA GRANDE SÃO PAULO:
Os motoristas e cobradores de ônibus também cruzaram em cidades da Grande São Paulo, mas as greves não conquistaram plenamente o que a categoria desejava.
Em Osasco, houve paralisação total da Viação Osasco e parcial da Auto Viação Urubupungá.
Os motoristas e cobradores não conquistaram ainda os 10% de reajuste salarial, vale-alimentação diário de R$ 17,10 e participação nos lucros e resultados de R$ 850. Todos estes pontos serão decididos pela Justiça em dissídio coletivo. A conquista maior dos trabalhadores de Osasco até agora foi o fim do desconto da hora de almoço dos salários, manutenção de emprego por 90 dias após a greve e pagamento dos dias parados. O maior problema em relação a hora descontada dos salários ocorria na Viação Osasco.
Na cidade de Diadema, no ABC Paulista, os motoristas da empresa de ônibus Mobibrasil, que ganham R$ 1859,00 queriam equiparação salarial com os outros trabalhadores que atuam no ABC, cujo salário dos motoristas de ônibus subiu para R$ 2555,29.
Eles não conseguiram. A proposta de Justiça Trabalhista foi de 8% de aumento, o que vai ser discutido. Com este percentual, os motoristas da Mobibrasil ainda ganhariam bem menos que os trabalhadores da mesma região: R$ 2007,72 e continuaram num patamar inferior aos motoristas de São Paulo: R$ 2150,50 – já considerando os 10% de reajuste rejeitado pela ala dissidente do Sindimotoristas.
Em Itapecerica da Serra e Embu das Artes, os motoristas e cobradores de ônibus da Viação Miracatiba conquistaram reajuste de 8% nos salários e revisão das folgas e escalas.
Já o reajuste salarial para os motoristas da Viação Pirajuçara, em Embu das Artes, ainda vai ser discutido entre categoria e empresa, podendo parar na justiça.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

Câmara aprova fim do rodízio municipal de veículos em São Paulo

fim rodízio municipal veículos

Congestionamento em São Paulo. Câmara aprova fim do rodízio municipal de veículos. Foto Blog Maplink

Câmara aprova fim do rodízio de veículos em São Paulo
Votação foi simbólica e segue para prefeitura. Para autor da proposta, medida não surte mais efeito na cidade
ADAMO BAZANI – CBN
Em votação simbólica, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou na noite desta quarta-feira, dia 28 de maio de 2014, o fim do rodízio municipal de veículos.
O PL PL 15/2006, do vereador Adilson Amadeu (PTB), segue para sanção ou veto do prefeito Fernando Haddad.
A assessoria de imprensa da prefeitura diz que o executivo espera a chegada da proposta para análise
O vereador afirmou que apresentou o projeto porque, na visão dele, o rodízio não consegue mais seus objetivos que são reduzir a poluição e os níveis de congestionamento.
A Câmara Municipal de São Paulo, em nota, diz que, segundo o vereador, o rodízio estimulou o paulistano a comprar um segundo carro:
“Segundo o projeto, a lei que implementou o rodízio foi criada para combater o problema de poluição ambiental na Capital, mas o crescimento da utilização de carros bicombustíveis (flex) tornou a frota menos poluente. O vereador argumenta também que a lei “incentivou” os paulistanos a adquirirem um segundo veículo, geralmente mais antigo e mais poluidor — para burlar o rodízio. Para Amadeu, a medida não tem mais efeito no trânsito de São Paulo. “Quando o rodízio foi implantado, não tinha o número de carros que tem hoje. A gente percebe que a classe média alta tem hoje dois, três carros na garagem para circular nos dias de rodízio. O reflexo [do rodízio] é zero”.
O vereador ainda acrescentou que em São Paulo circulam 2,5 milhões de veículos por dia de maneira irregular sem qualquer tipo de fiscalização, inclusive sobre rodízio.
Especialistas, no entanto, defendem a manutenção da restrição dos veículos de acordo com os finais das placas e dizem que o projeto segue em direção oposta das políticas de mobilidade urbana que tendem a desestimular o uso do transporte individual e privilegiar o transporte coletivo.
A prefeitura de São Paulo anunciou que quer expandir a quantidade de vias que passarão a ter o rodízio. Assim, dificilmente a proposta deve passar no executivo.
A votação foi rápida, demorou menos de um minuto. Votação simbólica não quer dizer que ela não tem valor, mas sim que não houve registro nominal dos votos.
Em votação simbólica, vários projetos são apreciados de uma vez só.
Se a votação fosse nominal, somando as bancadas do PSD, do PSDB e do PT, que reúnem 27 dos 55 vereadores, o projeto não teria aprovação.
A forma como foi conduzida a votação foi considerada uma estratégia por parte dos vereadores que são contrários ao fim do rodízio. Eles alegaram que o projeto não deveria ser apreciado em votação simbólica.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , | 6 Comentários

Secretário diz que uso intenso da frota causa problemas no Metrô de São Paulo

metrô

Uso intenso da frota ocasiona problemas diz Secretário dos Transportes

OUÇA A ENTREVISTA COM SECRETÁRIO JURANDIR FERNANDES:

http://cbn.globoradio.globo.com/sao-paulo/2014/05/28/USO-INTENSIVO-DA-FROTA-DO-METRO-CAUSA-PROBLEMAS-DIZ-SECRETARIO-DE-TRANSPORTES-METROPO.htm

Trem reformado do metrô de SP pegou fogo ontem. Sindicato diz que falhas são frequentes. Hoje, um trem da linha 3-Vermelha teve falha no sistema de freio em um dos carros na Estação República, sentido Corinthians-Itaquera, e precisou ser esvaziado.
O Jornal da CBN conversou com o secretário de transportes metropolitanos de SP, Jurandir Fernandes. Segundo ele, um trem do metrô anda até 70 mil quilômetros por dia. O secretário disse que a manutenção das linahs está entre as melhores do mundo e que o governo se esforça para conseguir comprar mais trens.
Em relação à greve anunciada pelos metroviários, o secretário avaliou que o sindicato demorou muito para começar a negociar, provavelmente, segundo Jurandir Fernandes, para que essa negociação ficasse mais próxima do período da Copa do Mundo, o que aumenta a pressão pela necessidade do transporte funcionando de forma plena. Jurandir Fernandes diz que o governo oferece 7,8% de reajuste, mas a categoria pede 35,4%

Publicado em Notícia | Marcado com , , | 8 Comentários

Greve de ônibus no Rio de Janeiro tem baixa adesão

De acordo com a prefeitura do Rio de Janeiro, 90% da frota saíram para as ruas.

Acompanhe a reportagem da CBN Rio de Janeiro:

http://cbn.globoradio.globo.com/rio-de-janeiro/2014/05/28/MOTORISTAS-E-COBRADORES-DE-ONIBUS-DO-RIO-COMECAM-A-TIRAR-OS-ONIBUS-DAS-GARAGENS.htm

Publicado em Notícia | Marcado com , , | Deixe um comentário