Viação Cometa 65 anos: Uma máquina do tempo, uma nave dos sonhos

Cometa 65 anos Flecha Azul

Uma máquina que viaja pelo tempo e pelos sonhos. Assim pode ser descrito o Flecha Azul restaurado pelos 65 anos da Viação Cometa. Foto: Adamo Bazani

Viação Cometa 65 anos Flecha Azul

Há momentos que só a estrada pode proporcionar. A viagem faz parte da vida, do instinto do homem e o motorista é o grande ator neste espetáculo de desenvolvimento tanto economicamente como no dia a dia de cada um. Foto: Adamo Bazani

Uma máquina do tempo, uma nave dos sonhos
Viagem em ônibus restaurado para as comemorações dos 65 anos da Viação Cometa é mais que um deslocamento pelo espaço, mas também pelo tempo e pela magia das estradas
ADAMO BAZANI – CBN

Viação Cometa 65 anos Flecha Azul

Da esquerda para a direita: o entusiasta André, o motorista Ricieli Antunes, o presidente do Primeiro Clube do Ônibus Antigo Brasileiro, Antônio Kaio Castro, o repórter Adamo Bazani e o gerente da filial da Cometa de Juiz de Fora, Bruno Silva. Foto: Sacramento

A sensação é única: sentir-se viajando pelo passado, mas pela janela visualizando o presente e tendo uma noção de como pode ser o futuro.
Sem sombra de dúvida, o Flecha Azul restaurado para comemorar os 65 anos da Viação Cometa é uma máquina que concilia estes três tempos aparentemente tão distintos, mas também tão ligados.
A paisagem no caminho entre São Paulo (SP) e Juiz de Fora (MG) também deixava claro este contraste temporal: grandes indústrias (muitas sendo construídas inclusive), antenas enormes de telefonia celular e grandes obras viárias convivem com plantações, rios, rebanhos, casas simples, pequenas igrejas e uma ferrovia que já foi marcada pelo transporte de pessoas.

O modelo Flecha Azul foi produzido a partir de 1983 pela CMA – Companhia Manufatureira Auxiliar, encarroçadora que pertencia à própria Viação Cometa. O ônibus é um clássico das estradas e reconhecido até por quem nunca demonstrou interesse aparente pelos imponentes veículos pesados.
Tamanho é seu status de clássico que pela viagem era possível perceber olhares admirados e muitos marcados pela saudade. E detalhe, esta reação vinha de todo tipo de pessoa que contemplava o veículo e não apenas de profissionais do setor e dos busólogos, nome popular que é dado às pessoas que gostam, entendem e pesquisam sobre o fascinante e abrangente mundo do ônibus.
Na máquina do tempo, passageiros de todos os tipos. Havia aqueles, como este repórter, que viajavam somente por causa do ônibus.
Outros estavam em seus deslocamentos normais, mas também não deixavam de admirar a beleza do veículo e seu ar saudosista, inspirado no norte-americano GM PD 4104, o Coach, apelidado aqui no Brasil de Morubixaba, importado pela Cometa em 1954.
Morubixaba é o nome dado ao líder da tribo indígena. E o Morubixaba fez a Cometa liderar.

Viação Cometa 65 anos Flecha Azul

Lataria do Flecha restaurado para comemoras os 65 anos de história da Viação Cometa foi revestida e polida de maneira especial. Mas o brilho verdadeiro desta máquina está em sua memória e pelo fato de ter participado da história de milhões de pessoas ao longo das décadas. Foto: Adamo Bazani

A história da Viação Cometa ajuda entender vários fatos que marcaram o País e até mudaram seus rumos.
A Cometa nos conta como a metrópole São Paulo cresceu. Seu fundador, o major italiano Tito Masciolli, criou a Auto Viação Jabaquara (precursora da Cometa) para ligar em 1943 o loteamento do bairro do Jabaquara até a região central de São Paulo.
A Cometa conta também sobre a reorganização dos transportes em São Paulo, fruto do crescimento populacional da cidade. Em 1947, a recém criada CMTC – Companhia Municipal de Transportes Coletivos encampou várias linhas da capital, inclusive os serviços da Auto Viação Jabaquara.
A Cometa relata como é importante viver e lutar por um sonho. O major Tito Masciolli não desistiu do setor de transportes, e no mesmo ano que teve a Jabaquara encampada, comprou uma empresa de ônibus chamada São Paulo – Santos. Em 1948, o nome foi mudado para Cometa. Também conta o sonho e perseverança do empresário Jelson da Costa Antunes, criador do Grupo JCA, que controla a Cometa desde o início dos anos 2000. Jelson, nos anos de 1960, um empresário de ônibus de porte pequeno na época admirava os diferenciados ônibus da Cometa e disse que um dia teria a empresa, que já era uma potência. Um sonho que parecia ser impossível, mas se tornou realidade.
A Viação Cometa fala um pouquinho da Segunda Guerra Mundial e seus efeitos sobre os imigrantes no Brasil italianos, japoneses e alemães. Apesar de não terem nada a ver com o conflito, muitos sofreram algumas restrições no país, como dificuldades de negócios e crédito. Surge então a figura de João Havellange, que já presidiu a FIFA (entidade máxima mundial do futebol). Havelange foi colocado como sócio, o que facilitou os negócios para a empresa continuar operando.
Quer saber sobre o desenvolvimentismo da era de Juscelino Kubitscheck, época de incentivo à indústria nacional? A Cometa também conta. Foi por causa desta política que surgiu o Flecha, inicialmente chamado de Dinossauro, quando era produzido pela Ciferal.
O Morubixaba, com seu imponente estilo norte-americano, acabou virando a cara da Cometa. Mas com o incentivo à indústria no Brasil, importar mais ônibus se tornou algo praticamente impossível. A Cometa se tornou líder do disputadíssimo trajeto Rio São Paulo com estes ônibus e deveria manter o padrão.
Assim, a empresa trouxe todas as inovações deste modelo para a indústria, um passo de desenvolvimento para as fabricantes, com o objetivo de criar um ônibus semelhante. Parcerias foram feitas como com a Striulli, que tinha licença da GM norte-americana para fabricar ônibus com design do GMPD 4104, Morubixaba. Depois a parceria foi com a Ciferal, que criou modelos como o Ciferal Papo Amarelo, o Ciferal Turbo Jumbo até em 1972 lançar o Dinossauro, que trazia o design robusto norte americano e mais novidades quanto a conforto e segurança.
Quer saber de pessoas emblemáticas da história do Brasil. A Cometa também mostra, como a de Leonel Brizola, cuja influência política foi tão grande que foi criado o termo “brizolismo”.
A CMA, encarroçadora Cometa, foi criada em 1983 para dar continuidade à produção do Dinossauro, mas o nome não poderia ser o mesmo por questões de direito, surgindo Flecha, dada sua velocidade e imponência na estrada. Em 1982, a Ciferal faliu, por problemas administrativos e principalmente depois de ter um pedido de 2 mil trólebus cancelado pela empresa pública de transportes CMTC. Acontece que o cancelamento ocorreu após a Ciferal já ter adquirido maquinários e matéria prima. A encarroçadora se endividou e faliu. Ela só não deixou de existir e milhares de empregos não foram extintos graças a Leonel Brizola, então governador do Rio de Janeiro, que decidiu assumir e estatizar a empresa. Algo inimaginável para o neoliberalismo. Na segunda metade dos anos de 1980, a empresa começava a voltar para a iniciativa privada e desde 1999 foi assumida pela encarroçadora Marcopolo.
Todas estas histórias foram contadas pelos entusiastas e busólogos para os demais passageiros , que mostravam admiração e reconheciam a importância da Viação Cometa.

Viação Cometa 65 anos Flecha Azul

A viagem foi uma festa à parte, com direito até a recepção de rodomoça. Na foto, repórter Adamo Bazani, a funcionária da Cometa Adriana, e o presidente do Primeiro Clube do ônibus Antigo Brasileiro. Foto: Amigos Colecionadores e Entusiastas

Ao transportar vidas e integrar pessoas, o ônibus não deixa de ser uma nave de sonhos. Para muitos, em si, o ônibus é parte do próprio sonho.
Quem conseguiu tornar este sonho em realidade foi o motorista Ricieli Antunes, que conduziu a nave da estrada, o Flecha, na viagem especial.
Seu traje também remetia a um dos momentos gloriosos do transporte de passageiros, quando os motoristas dirigiam com camisas alinhadas, gravata e o famoso quepe.
Os óculos escuros grandes, uma das marcas dos motoristas da Cometa, também não podiam faltar.
Ricieli contou que dirigir é sua dádiva, o seu dom, sua maneira de atender e servir ao próximo. E novamente estar no comando de um Flecha, veículo no qual ele trabalhou bastante em linhas da Cometa, é emocionante.
E quando se fala em emoção pela história dos transportes e identificação das pessoas ao verem os veículos antigos, Antônio Kaio Castro é especialista.
Ele é fundador do Primeiro Clube do Ônibus Antigo Brasileiro, que todos os anos realiza no Memorial da Améria Latina,Barra Fudna – SP, a” VVR – Viver, Ver e Rever”, uma exposição de ônibus e caminhões antigos, que faz parte do calendário oficial de turismo e de eventos do Estado de São Paulo.
Kaio participou da viagem e também passeou pelo tempo. Ele tem uma expectativa.
“Este modelo de ônibus faz parte da história de muitas pessoas. Muitos ao verem o veículo, lembram de seu passado, sua infância, sua família. As viagens são em homenagem à história, mas elas também ficam para a história. Quantas pessoas daqui a alguns anos vão se relembrar dos momentos vividos dentro do Flecha restaurado. Gostaria muito que a Cometa participasse da VVR com esta prova viva do desenvolvimento do setor rodoviário” – conta Kaio.
A exposição VVR, que reúne ônibus e caminhões fabricados desde os anos de 1920, neste ano de 2013 vai ser realizada nos dias 9 e 10 de novembro, com entrada gratuita, sendo uma boa opção de programa diferente, até para quem não tem tanta intimidade com a história do ir e vir das pessoas e de cargas.
O ÔNIBUS E O REPÓRTER:

Viação Cometa 65 anos Flecha Azul

A Cometa faz parte de várias histórias. Seus ônibus despertavam paixão e transportavam sonhos. A imponência de seus veículos fez com a paixão por transporte, existente desde pequeno, ganhasse mais força. Foto: Wilson Bazani

Viação Cometa 65 anos Flecha Azul

O encontro do passado com o presente e a visão para o futuro. Entre os ônibus da atualidade o Flecha Azul se destacava no Terminal Rodoviário do Tietê, em São Paulo, e mostra que se os transportes evoluíram, é porque milhões de quilômetros foram percorridos por profissionais do setor e o personagem mais importante: o ilustre senhor passageiro. Foto: Antônio Kaio Castro.

As viagens em comemoração aos 65 anos da Viação Cometa, no imponente Flecha Azul, que foi restaurado pela empresa, são provas de como os transportes fazem parte da vida das pessoas e de como as companhias de ônibus, veículos e motoristas ficam nas memórias, até mesmo de quem aparentemente não se interessa muito pelo setor e pelos gigantes da estrada.
Por onde o Flecha passava, os olhares ficavam atentos e saudosos.
Os passageiros que não eram admiradores de ônibus também se encantavam e aos poucos, ao verem o veículo, lembravam de suas famílias, seus passeios e suas conquistas.
Para quem tem os ônibus como uma verdadeira devoção, já que o transporte é apaixonante, estes sentimentos fazem o coração acelerar.
É o meu caso. O primeiro contato com o fascinante mundo do ônibus se deu na rua de casa mesmo, em Santo André, com os ônibus urbanos da Viação Padroeira do Brasil. Seus veículos modelo Caio Gabriela e Marcopolo San Remo paravam perto de onde eu morava e causavam uma admiração que só mesmo algo explica: a paixão.
Mas foi depois de ver um Flecha Azul da Cometa, com apenas três anos de idade, que mente e coração não tiveram dívidas: o ônibus era algo especial para mim.
O primeiro contato com o Cometa foi na rodoviária de Santos, no Litoral Paulista.
Eu não sabia o que era Flecha, Scania e até então, nem Cometa. Mas a imponência do ônibus, seu estilo diferenciado dos outros e até a postura do motorista foram notados ainda quando eu era uma criança.
O pedido para viajar nele não demorou e meu pai, Wilson Bazani, não teve dúvidas em atendê-lo na semana seguinte, numa viagem para Campinas.
Ele sempre foi metalúrgico, não trabalhava em transportes. Mas com a sensibilidade de pai via o brilho nos meus olhos e respeitava e incentiva os gostos. Junto com minha mãe, Ada Alonso Justo Bazani, tínhamos um programa aos finais de semana: ir às rodoviárias. E o Cometa era a majestade em meio a tantos outros ônibus também fascinantes.
Até minha tia, Miriam Justo, morar em Mairinque, região de Sorocaba, interior de São Paulo, quando usávamos os serviços da empresa, o destino das viagens eram simplesmente, os ônibus.
Pegávamos o Cometa apenas para andarmos de Cometa.
Ainda com três anos de idade, ganhei minha primeira miniatura de ônibus. E adivinhem: era um Viação Cometa, da Brinquedos Rei, que meu pai comprou na Cooperativa do ABC, um mercado que não existe mais, também em Santo André.
Ocorre que esta miniatura está intacta ainda e é guardada com carinho. Hoje, estou com 34 anos de idade. Esta réplica da Cometa então está com 31 anos.
Quando vejo fotos antigas e relembro do urbano da Viação Padroeira do Brasil e dos rodoviários da Cometa, não me recordo apenas de máquinas de metal, mas dos passeios com meus pais, das minhas brincadeiras com as miniaturas, do fato de eu me interessar por cidades por causa dos ônibus e ir bem nas aulas de geografia e história.
Percebi então que o ônibus não é um mero veículo, mas é um agente que agrega pessoas e transporta sonhos, que um dia vão virar realidades e lembranças.
E assim como ocorre comigo, a Cometa faz parte destas memórias pessoais.
Quando comecei a estudar ainda mais a memória dos transportes, percebi que a rica história da empresa é uma verdadeira aula e por estar presente no desenvolvimento do país, resgata diversos momentos e personagens que ajudaram esta nação crescer.
A Cometa nasceu de um sonho, se tornou parte de um novo grupo por um sonho e ao conhecer sua história podemos ter certeza de que sonhar faz bem e pode tornar muitas vezes o impossível em algo real.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

About these ads
Esse post foi publicado em História, Notícia e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

41 respostas para Viação Cometa 65 anos: Uma máquina do tempo, uma nave dos sonhos

  1. Republicou isso em carvanbustrucke comentado:
    Cometa, a históriamviva do transporte rodoviário de passageiros no Brasil ! Parabéns !

  2. Leonardo do Lima disse:

    Parabéns à Cometa por ter restaurado este ônibus que marcou muito a minha vida, assim como de muita gente.
    Também quero parabenizar o Ádamo por escrever com razão e ao mesmo tempo com paixão.
    Abraços

  3. “Viver, Ver e Rever…”VVR” ” é o título da exposição que reúne o maior acervo histórico de ônibus e caminhões do país, que, muito bem lembrado acima, acontecerá em 09 e 10 de novembro próximo, no Memorial da América Latina, São Paulo, Capital. Mas, esse título, “Viver, Ver e Rever…” reflete, sobremaneira, magicamente, momentos marcantes de nossas vidas e que felizmente, graças à sensibilidade de empresas e particulares, que, ao restaurarem essas relíquias nos proporcionam revive-los. Cumprimentamos todos os colecionadores, empresas e particulares, que preservam a memória dos transportes e contamos com a presença de todos em nossa próxima “VVR – Viver, Ver e Rever…”. Ao amigo jornalista Adamo Bazani, com quem vivenciamos essa viagem, nesse belíssimo carro, também nossos aplausos pela sensibilidade do texto.

  4. Sergio Santo André disse:

    Tenho que tirar o chapéu, mais uma vez, por essa matéria Adamo. Realmente a restauração desse Flecha Azul levou muita gente, como eu, a voltar no passado. No meu caso, a história idêntica a sua, inclusive pela nossa cidade, Santo André, me trouxe lágrimas as olhos e lembranças de meu saudoso pai, que como o seu, me levava prá passear no terminal Júlio Prestes, para ver a maravilhas que ali transitavam, entre elas o primeiro Dinossauro e os Turbo-Jumbo da também Cometa. O que dizer de uma reportagem como essa ilustrada pelo ícone das estradas brasileiras, pura magia do tempo. Parabéns !!!

    • Delio II disse:

      Meus cumprimentos a matéria e as boas lembranças que me proporcionou, fui motorista da Cometa linha Rio x São, na época estava terminando a transição dos Turbo Jumbos para os Dinossauros, rodoviária Júlio Prestes que se iniciava no terreno que servia como estacionamento antes de entrar na rodoviária pela praça Duque de Caxias.
      Sou da antiga, sim minha matrícula nº 35330 nome de guerra “Delio II”, tempo bom que todos se respeitavam…
      Abraços…

  5. Adamo : Esse texto da Cometa você não escreveu com as letras: Escreveu com a alma! Isso foi uma extrema declaração de paixão pelo transporte de passageiros. Parabéns pela redação! Tenho uma história pra contar do Dinão: Quando tinha 9 anos meu pai me levou para a cidade do Rio de janeiro. (Hurra meu! ) Foi a primeira vez que sai fora do estado de São Paulo. Isso foi em 1977. Olha, hoje as coisas mudaram (e muito!) . O motorista já não tem aquele respeito tão bom pelo povo como antigamente. Mas a vida continua. E o seu texto me emocionou. Ainda quero ver esse flecha azul nas estradas . Vou fazer muita festa quando vê-lo. Ligar pisca lerta, seta, lanterna, tudo o que a gente tem direito. Meu filho de 8 anos já é apaixonado por ônibus. É como se fosse uma doença , passa de pai para filho. Pena que na Metra não exista isso ainda.
    Forte abraço para você e todos que curtem ônibus. Parabéns Cometa!!! Preparada para os próximos 65 anos!!

    • Muito obrigado amigo. Sua historia resume o que e essa paixao. Sugiro que voce escreva tambem no Hot Site de 65 anos da Cometa para concorrer a uma viagem. Sua paixao e de muitos aqui e antiga e ja atravessa as geracoes.
      Abracos a todos

  6. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Adamo, PROTESTO.

    Só 28 segundos do filme do Flecha, Ahhhhhhhhhhhhhhhhh é muito pouco.

    Brincadeira.

    PARABÉNS pela matéria, realmente como disse o Luiz Eduardo Costa acima, a matéria emocionou mesmo, UFA!

    Tô lokinho esperando para chegar o meu dia, vou fazer uma viagem curtinha nesse Flecha, mas vou.

    Pra variar, vou deixar uma sugestão.

    Cometa, prolonguem esta comemoração do Flecha com mais viagens aos sábados e domingos, para permitir que nós os apaixonados pelo Buzão possam ter a oportunidade de fazer uma viagem mais longa.

    Eu adoraria fazer Santos ou Poços de Caldas, mas não havia mais vagas,

    E reiterando, principalmente nos finais de semana.

    Fica ai a minha sugestão.

    Quanto ao Sr. Riciele, nem preciso dizer né, ele deve estar muito feliz.

    É o Sr. Ricieli que está na escala para todas as viagens ?

    Será que eu consigo tirar uma foto usando esse quepe de motorista da Cometa ?

    Vou aguardar a minha viagem.

    UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

    Att,

    Paulo Gil
    “Buzão e Emoção essa é a nossa Paixão”

  7. Affonso Parpinelli disse:

    Amigo, que bacana!!!
    Temos uma amigo em comum.. O Sr. Kaio, presidente do Clube do ônibus Antigo!
    Sensacional a viagem no tempo com este Flecha Azul maravilhoso!
    Estou morrendo de vontade de fazer a viagem com esse “Cometão”. Infelizmente as viagens de SP para Franca (minha terrinha querida) serão durante a semana, o que me impossibilita por questões de trabalho!
    Mas espero ver esta máquina estacionada no Memorail da America Latina no VVR 2013…
    Tenho certeza de que o Kaio, com todo seu carisma empenho e paixão, irá conseguir levar mais esta atração para o evento!!!
    Esses Flecha Azul fizeram parte de minha infância! Fiz por dezenas de vezes esse trecho Franca – São Paulo e me lembro bem dos assentos revestidos com aquele belo couro vermelho escuro!
    SAUDADES!!!

  8. Gilberto Bráz da Silva disse:

    Parabens Adamo, sou amigo pessoal do Kaio, apesar de fazer algum tempo que não nos vemos.

    A Viação Cometa faz parte da minha vida profissional, pois desde que eu era cobrador de ônibus em 1969 sonhava em ser motorista e tinha como ideal ser motorista de diretoria ou motorista rodoviário e de preferencia na Viação Cometa.

    Em 1985 conquistei o meu objetivo e fui admitido p/ trabalhar na Viação Cometa e permaneci por 2(dois) anos, inicialmente na linha de Campinas e depois na linha São Paulo-Rio com o Flexa Azul automático.

    Agradeço pela feliz lembrança que me proporcionaram com esta matéria.

  9. roberto SP disse:

    Em primeiro que também parabenizar a Viação Cometa pelos seus 65 anos, e digo que para todos nós admiradores a restauração desse ônibus está sendo um grande marco. Confesso que fiquei com uma boa inveja dos amigos que puderam desfrutar nele nessa viagem sobretudo o Adamo e o Kaio. Recentemente escrevi no meu blog a hsitória do Dinossauro, acho esse ônibus um marco na hsitória de vida de muitos de nós, lembro quando embarquei no Dino fiquei tão emocionado que misturava choro e alegria tinha apenas 11 anos de idade, na época era mais ou menos com o viajar Enterprise do capitão Kirk e do Spok, olha uma coisa eu sei naquela viagem fui ao banheiro mais que todos os passageiros. Mas uma coisa é certa o sucesso do CMA 7455 está sendo tão grande que nem a própria Cometa previa, outra coisa é que pensei em sugerir a presença dele na VVR 2013, mas creio não vá ser possóvel devido ao calendário das viagens dele ja programadas, mas será que a Cometa atenderia por exemplo uma viagem com os fãs nele antes de manda-lo para o museu da empresa. Adamo parabéns pela excelente matŕia como sempre.

    • Paulo Gil disse:

      Roberto, boa noite

      Por favor passa o link do seu Blog para quem quiser ler essa história que você publicou.

      Eu quero ler.

      Att,

      Paulo Gil

  10. Maurício Campos disse:

    Excelente matéria, à altura do magnífico CMA Flecha Azul. Esse ônibus vai até além de sentimentos e de saudosismo, ele nos lembra que certas coisas são insuperáveis. Nenhum ônibus é tão bonito ou eficiente quanto ele. Carrocerias em duralumínio representam o ápice da eficiência e beleza em matéria de ônibus. Pena que a indústria de hoje não compreende isso.

  11. Amigos sou motorista profissional a + de 24 anos e ainda sonho em ser um profissional desta empresa que continua nos causando sonhos- matéria maravilhosa-Abraço-Carlos

  12. armando cesar dantas do amaral disse:

    Com certeza não poderei viajar nesta nave.Que pena,. deveria vir para ficar. Ah, Rio São Paulo nesta máquina.Saudades.

  13. brunowagen disse:

    Cometa poderia mantê-lo ativo, nem que fosse uma linha curta e apenas uma viagem por dia, o retorno é certo.

  14. Robson Batista disse:

    Parabéns Adamo pelo belo texto! Parabéns também à Cometa pelos 65 anos e pela sensibilidade demonstrada em restaurar esse ícone das estradas e coloca-lo a disposição de nós amantes dessa maravilha.
    Minhas viagens pra Rio x São Paulo e Belo Horizonte sempre foram feitas com o Flecha e agora vou fazer a minha última viagem(quem dera não fosse) no dia 27, Rio x Poços de Caldas. Tô ansioso!
    Abraços!

  15. Wallace disse:

    Congratulações Adamo por tudo que escreveu, Não dá pra entender o porque de não ter mais esta maravilha sobre rodas, sua pintura hoje é vintage, na moda como dizem os marketão….
    Essa máquina ganha de tudo que é buzão fabricado pela enlatadora de ônibus Marcopolo, os famosos bate teto, bate bagageiro e bancos. Basta andar em qualquer um, é tudo igual, só muda a cor. isso sem falar nos bancos de pano….. Um Dinossauro e suas evoluções são inigualáveis e únicos, sejam rodando ou parados, é como se existisse uma ferrari ônibus com bancos de couro vermelhos. um luxo único!
    Espero que a sensibilidade e a paixão do Seu Jelson pela Cometa, traga de volta a CMA e estes únicos e verdadeiros ônibus deste Brasil. Eles são a alma da Cometa, sím, a Cometa tem alma e é esta maravilha rodante que leva e traz pessoas e suas histórias. Jamais existirá alguma coisa que substitua essa lenda rodoviária. Fiz uma viagem para Sampa e dá dó de ver um veiculo dessa idade engolindo essas embalagens de ônibus que vemos por aí. Não tem o que comparar, isso sem falar, na elegância da indumentária do Comandante como disse uma passageira, parece que estamos num avião….. Uniforme de sinesiforo hoje, é igual a gerente de supermercado ou farmacia, coisa sem graça. Cometa hoje, não tem mais identidade, é mais do mesmo. A repercussão desta iniciativa, deve servir para rever conceitos e levar em conta que estes veículos além de seu tempo, serão sempre melhores do que se tem hoje.

  16. PauloGil disse:

    Amigos, boa noite

    Hoje fiz minha viagem no Flecha Azul LXV.

    Uma nave, um sonho, um showwwwwww !

    Parabenizo e agradeço aos pilotos Srs. Ricieli e Ernesto do Flecha Azul LXV – carro 7455, os quais nos receberam muitíssimo bem com cordialidade e simpatia durante toda a viagem.

    A viagem foi uma beleza, o Flecha deslizou como uma pluma sobre o asfalto, parabéns Ernesto, você manda muito bem na NAVE.

    Pena que a Cometa só sorteou uma miniatura, mas devia dar uma para cada passageiro que fez
    a viagem comemorativa no Flecha LXV.

    Afinal para quem renova uma frota inteira, não custaria tanto dar uma miniatura para cada apaixonado.

    Forte abraço a todos.

    Paulo Gil
    “Buzão e Emoção essa é a nossa Paixão”

  17. PauloGil disse:

    Amigos, boa noite

    “Ricieri Antunes e Marcos Adriano Paixão Ernesto, escolhidos entre os 1.200 da empresa para fazerem as 65 viagens comemorativas aos 65 anos da Viação Cometa”

    Esta informação eu extrai lendo a matéria no link abaixo:

    http://www.cruzeirodosul.inf.br/materia/503806/classico-flecha-azul-despede-se-de-sorocaba

    Alguém sabe como foi essa seleção ?

    Adamo tem alguma dica ?

    Abçs,

    Paulo Gil

  18. Adriano Cunha disse:

    Esse foi e sempre será o rei das estradas, nenhum ônibus no Brasil conseguirá tirar o titulo que ele conquistou, parabéns viação cometa S/A.

  19. Wallace disse:

    Adamo,
    Repara ai, o nome do nosso Comandante é Ricieri e não Ricieli. Pessoa muito especial e tem voz de locutor de rádio. Amanhã vou para Poços aplacar a saudade. Com ele de novo no comando e quem sabe o Ernesto vai junto.
    Paulo Gil, até onde sei a escolha foi pela ficha profissional, postura, experiência e outras virtudes que me parece encaixaram nos dois escolhidos para esta histórica jornada. Faria isso de graça se pudesse. Jamais existirá um ÔNIBUS como esse, dá dó ver ele perto das embalagens para ônibus da marcopolo. chega a ser triste classificarem aquilo de õnibus.
    É isso.

    • Paulo Gil disse:

      Wallace, boa noite.

      Obrigado pela informação

      Bom então os Srs. Ricieri e Ernesto são dois feras como o Flecha, merecido então.

      Abçs,

      Paulo Gil

      • Wallace disse:

        Caro Paulo Gil,
        Foi na Viagem 26 ( VR/SP) que conheci o Ricieri, simpatia e profissionalismo em pessoa. reflete a imagem da Cometa que conhecemos e torcemos para continuar, ai veio a vontade de fazer uma outra com ele, o homem é inesquecível e tem uma voz de radialista TOP. Sentar lá atrás e ouvir a conversa dele com o motor através do cambio é música, nenhum tranco, o cara não muda marchas, ele completa velocidades. É melhor que cambio automático…. Dá gosto e orgulho ver e ouvir isso. Se puder vá em pelo menos uma viagem com ele e confirmara o que digo. Em 27/09 viagem 39 foi o sonho de qualquer um que é apaixonado pela família Dinossauro, como já descrevi anteriormente respondendo ao José Roberto. Foi uma coisa que era para dar errado e deu muito, mas muito certo. Maravilha!!!!!!
        Obrigado Adamo pela oportunidade de comentar no seu ponto de ônibus.
        Fico muito grato mesmo.

    • Paulo Gil disse:

      Wallace, boa noite.

      Eu fiz a viagem 33, foi muito legal também.

      http://www.youtube.com/user/47bus/videos

      Os filmes são caseiros, mas têm ALMA.

      O Piloto foi o Sr. Ernesto, flutuamos na Bandeirantes.

      Na chegada saudamos os Comandantes com uma salva de palmas e gritos de “mais uma; “mais uma”, “mais uma”, foi lindo

      O Sr. Ricieri foi de passageiro com nós e foi super gentil ao ceder seu quepe para tirar fotos, inclusive a minha.

      Uuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

      Adorei a expressão: ” ele completa velocidades”

      Você tem razão a Cometa tem alma, porque aquela Cometa já morreu.

      Para qualquer empresa ter alma o Comandante dela também precisa ter alma.

      Ou seja ser um apaixonado pelo que faz.

      Essa é a diferença.

      E para um profissional ser um Comandante, ele também precisa ter alma, ou seja ser apaixonado pelo que faz.

      Hoje a grande maioria tem um negócio, não importa se vende serviço A ou produto B, ou seja sem paixão.

      Não importa ser um CMA, importa é ter 6 rodas e 50 poltronas, ir, voltar e faturar.

      A paixão pelo trabalho é a alma.

      Mantem-se as marcas, mas as ALMAS NUNCA!

      Abçs,

      Paulo Gil

      “Buzao e Emoção essa é a Paixão”

      • Wallace disse:

        Caro Paulo Gil,

        Compartilho com sua emoção, não da pra explicar né? Sentir é melhor.
        Esses caras merecem mesmo uma salva de palmas e reconhecimento, são a cara e a alma desta empresa com os Dinossauros, Já viste o que fizeram com o expresso Brasileiro?? Irreconhecível, levei um susto ao ver aquilo…… Mas, voltando a nossa paixão, os Dinossauros, isso só tem uma solução: A Cometa reativa a CMA e pinta todos na cor padrão clássico, simples assim. É só por um Dino no meio destas embalagens para ônibus da marcopolo, que você entenderá o que digo. Não se compara ÔNIBUS com embalagem….. Não existe nenhum destes que sobe serra em 5ª, só ele…. O dono das estradas. Pergunta pros tocadores de embalagens….. Tem mais, hoje achei o significado de GTV, ” Grande Trambolho Veicular…..”
        Modernidade cria cada coisa……

        Super abraço.

        Wallace

    • Paulo Gil disse:

      Wallace, boa tarde.

      Essa Emoção é ALMA.

      Hoje até pensei que esqueci de te dar o exemplo da perda da Alma, no caso do Expresso Brasileiro, mas nem precisou você já percebeu.

      Também fiquei triste, sem contar que eras as cores do nosso país e bandeira.

      Irreparável.

      Vou aproveitar seu comentário para fazer um gancho com mais umas das minhas ideias que tive nesses dias (pra variar).

      Sei que cada cabeça uma sentença e negócio$ são negócio$.

      Mas não custa tentar.

      Sabe a ideia que eu tive.

      A Comil bem que podia desenvolver um “DINO”, já pensou.

      Com a pegada que ela está agora ia ficar um Buzão simplesmente sensacional.

      O NEW ROAD DINO ( com 80 % da carroceria ALUMÍNIO POLIDO.

      UuuuuuuuuuuuuuuuuaaaaaaaaaaaaaaaauUUUUUUUUUUUUUUU ”

      SHOWwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwww

      Esse Buzão vai nascer COM ALMA!

      Quem sabe a Comil abraça a ideia e desenvolve o “NEW ROAD DINO”

      Se der certo a Comil podia nos mandar 2 de presente.

      Que cor você querer o seu ?

      O meu estou em dívida: Azul com prata ou Verde com prata

      NOoooooooooooooooooooooooooooosssa.

      Abçs.

      Paulo GIl
      “Buzão e Emoção é a Paixão”

      • Wallace disse:

        Caro Paulo Gil,
        O meu irmão pergunta o que nós fumamos….. Tamos viajando demais…..
        Quando ganhei minha Mini, fiquei sabendo que alguém que ganhou vendeu por R$50,00 na própria viagem, propus uma troca, eu dava minha mini e ficava com a Verdadeira….. era só alargar o portão de minha garagem e fazer um teto novo….. Imagina como ficou esse pateta quando a ficha caiu, perdeu o bonde da história né?
        Vou te contar uma coisa: Se pudesse decidir, pediria o dinheirão que gastaram para sumir com a alma da cometa de volta, mandava repintar todos na cor clássica, que os idiotas de hoje chamam de Vintage….. Só rindo. Sumia com as embalagens de ônibus da minha garagem e toda manhã ia ver minha criação de Dinossauros crescendo…… Pois é, fiz 3 viagens e acompanhei outras tantas no youtube, e posso afirmar que ninguém imaginava que a ALMA da Cometa era tão forte, nessa altura dos acontecimentos nem passagens tem mais, fica a pergunta:
        O que vamos fazer daqui pra frente com a Cometa sem Alma…… Será que alguém ta pensando nisso? Penso que as viagens deveriam continuar, a fila é grande. Acho um desperdício encostar uma beleza dessas, No mundo de hoje tem muita coisa para ser repensada, A cometa Nunca deveria ter deixado de ser o que sempre foi, Única e diferente de tudo que se viu e se vê em transporte de passageiros. Quando ele chega numa rodoviária ninguém enxerga o resto, e é resto mesmo. Voltando aos devaneios….. Ficaria bem feliz com uma replica em tamanho real
        desse belezão ai.

        Obrigado por me fazer viajar, até sem até sem ônibus nenhum.

        Gde abraço.

        Wallace

    • Paulo Gil disse:

      https://blogpontodeonibus.wordpress.com/2012/09/16/o-motivo-de-gostar-de-onibus/
      Wallace, boa noite
      Fala para o seu irmão que não precisamos fumar nada; é só Alma, Emoção & Paixão.
      E ao final das contas é proibido fumar na jóia do Flecha Azul, rsssssssssssssssss.
      Não sei se vc já acessou o post “Motivo de Gostar de ônibus”, mas se não acessou, acessa, e aproveita e mostra para o seu irmão que ele vai entender, lá tem várias histórias inclusive a minha, é um barato.

      E nem precisa de um cigarrinho, só de um Buzão.

      https://blogpontodeonibus.wordpress.com/2012/09/16/o-motivo-de-gostar-de-onibus/

      Eu faria o mesmo que vc.
      Mas a alma já foi essa não volta mais, infelizmente, pra retornar os DINOS precisa ressuscitar as ALMAS, entende.
      Pensando bem pode até ter alguém pensando na Cometa com Alma, mas eu não acredito que a Alma retorne , não.
      ” No mundo de hoje tem muita coisa para ser repensada”
      Outra colocação sua sensacional, mas a galera não aprecia o “charme” das coisas, falta paixão.
      Sempre foi assim, quando um DINO chega numa rodoviária a coisa pega, ainda mais agora que só tem um tipo: as “embalagens”.
      Fiquei contente que vc viajou, mas não fui eu a causa não, foi o DINO
      Rsssssssssssssssssssssssssssss
      E como cantava Luiz Gonzaga:
      “Minha vida é andar por esse país…
      A Vida do Viajante
      Luiz Gonzaga
      Minha vida é andar
      Por esse país
      Pra ver se um dia
      Descanso feliz
      Guardando as recordações
      Das terras por onde passei
      Andando pelos sertões
      E dos amigos que lá deixei.
      Chuva e sol
      Poeira e carvão
      Longe de casa
      Sigo o roteiro
      Mais uma estação
      E a alegria no coração
      Minha vida é andar
      Mar e terra
      Inverno e verão
      Mostre o sorriso
      Mostre a alegria
      Mas eu mesmo não
      E a saudade no coração
      Minha vida é andar..

      Boaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa Viagemmmmmmmmmmmmmm

      Abçs,

      Paulo Gil
      “Buzão & Emoção é a Paixão”

    • Paulo Gil disse:

      Wallace, bom dia

      Segura essa ai.

      http://www.itapemirim.com.br/60anos/fa_clube

      Abçs,

      Paulo Gil

  20. Jose Roberto disse:

    Hoje, infelizmente o Flecha restaurado enguiçou em plena Rodoviária Novo Rio, e não fez a viagem para Poços de Caldas.

  21. Wallace disse:

    José Roberto,
    Problemas técnicos acontecem, é como infarto, repentinamente acontece. Mas, ontem 27 a viagem 39 aconteceu com 7 passageiros que esperaram os reparos e seguiram viagem. foi maior do que um sonho, ter um flecha só pra nós com o Comandante Figueiredo. Aguardei
    das 09:00 até as 15:00 na Rodoviária de Resende, pois não me foi possível ir ao Rio. Valeu
    cada minuto de espera, pessoas como Jorge Mendes com esposa e o filho João, O Robson Batista belíssima pessoa, Sergio e esposa. Acabei de chegar de Poços no Flecha com o Comandante Ricieri o homem que não troca marchas no flecha, e sim completa velocidades….. Mais suave no cambio impossivel.
    Já estou saudoso, e como disse um passageiro: A cometa deu um tiro no pé desativando a família Dinossauro, não existe, não existirá ÔNIBUS como esses, podem tentar, mas só vai ficar na tentativa. Nenhuma dessas coisas que insistem em chamar de ônibus sobe serra em 5ª marcha a 92km…. Só ele o único dono das estradas por aqui. Espero que a CMA seja reativada e comece a povoar a cometa de novo já em 2014. Fica a aposta. A Cometa tem ALMA e a Alma da Cometa é a Família Dinossauro, e a indumentaria fina e imponente de seus Sinesiforos, basta ver a elegância e postura do Comandante Ricieri e você perceberá o que digo. Tanto faz ser gerente de farmácia ou supermercado, o “uniforme” hoje é o mesmo para motoristas…. Dinossauros tem comandante e não motoristas, são seres difenciados que sabem o poder que tem. É impossível conceber um dinossauro Cometa sem os bancos de Couro vermelhos e layout clássico, ele é único e por onde passa é reconhecido pela beleza e imponência. Cometa sem Dinossauros…. Não é Cometa, é mais uma sem identidade.

    Acho que é isso.

  22. Jose Roberto disse:

    Excelente relato Wallace!

  23. Robson Batista disse:

    Grande Wallace!
    Realmente, o problema inicial da viagem 39 se tornou em momentos super agradáveis, foi como se estivéssemos num delicioso passeio em família curtindo o carrão novo do papai. rs Muito bom conhecer pessoas como vocês, super gente boa e compartilhando das mesmas paixões. Valeu muito a pena ter esperado(por pouco tempo) o Flecha ter o seu problema resolvido, aliás esperaria um dia inteiro, pois eu estava ali só por causa dele. Apesar do competente comando do Figueiredo, fiquei triste em não ter o Ricieri nesta viagem e tenho certeza que ele também ficou em ter ficado fora dessa.
    Quanto ao Flecha voltar à ativa, seria um sonho, não só de nós usuários apaixonados, mas também de motoristas. Nessa madrugada, voltando de Poços de Caldas, numa das paradas conversei com o motorista e ele compartilha do mesmo sonho, me disse que chegou a pilotar o Flecha e ficaria muito feliz se pudesse fazer isso novamente. Seus olhos brilhavam em falar do Flecha. rs
    Grande abraço!
    Robson

    • Wallace disse:

      Caro Robson,
      Sei que é duro Ir de ônibus e voltar a pé…. Fiz isso na viagem 26, e foi triste.
      Foi mesmo viagem de família a nossa ida para Poços, As vezes ganhamos presentes inesperados como esse, conhecemos pessoas especiais em viagens especias. Por essas que a vida é boa, concordo com seu pensamento, o comandante Figueiredo é show, mas o nosso amigo Ricieri é a imagem da Cometa para nós e para muitos dos que viajaram com ele. Fica a imagem inesquecível de sua impecável pessoa.

      Até breve.

      Wallace

  24. Katsumi kihara disse:

    Comandante Figueiredo e motorista Ricieri foi muito bom ter realizado essa viagem a Poços de Caldas, pois a primeira e unica vez que lá estive foi a 50 anos atrás. Quanto à viagem de ida mesmo num onibus convencional e moderno foi como se estivessemos numa excursão, foi muito divertido. E a todo momento queríamos saber sobre o Flecha Azul que havia ficado no Rio, para um pequeno reparo. A viagem de volta foi a realização de um sonho, com o Flecha Azul já refeito, com muitas fotos e filmes dos passageiros e fãs/curiosos, saimos de Poços de Caldas quase 11:00hs da manhã. Como disse, a volta também foi magistral, parabéns pelo belo trabalho Ricieri, o motorista e Figueiredo, o grande Gerente de Treinamento, parabéns Viação Cometa, pelos 65 anos.
    Um forte abraço
    Katsumi Kihara

  25. wallace disse:

    Paulo gil,
    Como faço pra te mandar umas lembrancinhas da viagem a Poços de Caldas. Depois da Cometa, todo mundo seguirá o rastro do Flecha!!!!!! Como sempre fizeram……
    Paulo, minhas congratulações pela memória belíssima que você descreveu no Como gostar de ônibus, Nunca tive uma oportunidade riquíssima como a que vocês tiveram, já que onde moro tem só 3 empresas e é tudo igual…. velhos e mal cuidados, já teve caminhão com carroceria de ônibus… Triste isso né? Fiquei até as 2 da madruga lendo seu relato e fiquei emocionado com a sua paixão. Muito bom saber que existem pessoas como você e o Adamo, paixão verdadeira e ainda compartilham com a gente. Cheguei aqui por acaso, mas sou muito grato por vocês permitirem participar com nossos pitacos. Minha admiração por esse tal de flecha Azul, que é na verdade uma evolução da família Dinossauro que nos deixa mesmo apaixonados por um ser único e que sempre foi e será a frente do seu tempo. Daqui a 20 anos se sair fazendo as mesmas viagens, penso que a admiração será a mesma.
    Obrigado!!!!!
    Wallace
    Ps.: É possível postar fotos aqui para que todos possam ver?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s