Lapa recebe mais faixas de ônibus nesta segunda-feira

ônibus lapa

Ônibus urbano em São Paulo. Região da Lapa recebe mais 300 metros de faixas para transporte público.

Lapa recebe mais faixas de ônibus nesta segunda-feira

Serão 30 metros na Rua Nossa Senhora da Lapa

ADAMO BAZANI

A Rua Nossa Senhora da Lapa, na zona Oeste da Capital Paulista, recebe a partir desta segunda-feira, dia 06 de julho de 2015, 300 metros de faixas para ônibus. Pelo local, também podem trafegar táxis com passageiros, que realizam embarque e desembarque em qualquer trecho.

O espaço é no sentido bairro entre a Rua Faustolo e Albion. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 06h às 10h e das 17 às 20 h.

De acordo com a CET – Companhia de Engenharia de Tráfego, pelo local circulam 06 linhas de ônibus, com frequência média de 39 ônibus/hora, transportando 62 mil passageiros em média por dia útil.
A CET não soube informar o número de pessoas transportadas por táxis na via.

“Com esta implantação, a partir de 06 de julho, a malha de faixas exclusivas chegará aos 479,4 km. Do total de faixas exclusivas existentes na cidade, a atual gestão inaugurou 389,4 km. Portanto, antes, São Paulo possuía 90 km.” – complemente a CET, em nota.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Rio apresenta primeiro trem do VLT

VLT

VLT do Rio de Janeiro teve o primeiro trem apresentado neste domingo. De acordo com prefeitura, será o segundo sistema no mundo com alimentação de energia pelo solo. Foto: Divulgação Prefeitura Rio de Janeiro.

Rio apresenta primeiro trem de VLT

De acordo com prefeitura, sistema será o segundo no mundo a não precisar de rede aérea para mover os veículos

ADAMO BAZANI

O primeiro dos 32 trens do VLT – Veículo Leve sobre Trilhos do Rio de Janeiro foi apresentado neste domingo, 5 de julho de 2015, com a participação do prefeito Eduardo Paes.

O sistema que deve ter 28 quilômetros de extensão vai custar R$ 1,157 bilhão, sendo R$ 532 milhões oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2) e R$ 635 milhões vindos de Parceria Público Privada (PPP) pela prefeitura do Rio de Janeiro. O contrato de operação vai ser de 25 anos.

O modal vai ligar a Rodoviária Novo Rio, na Zona Portuária, ao aeroporto Santos Dumont, na região central. A estimativa é de que o primeiro trecho esteja concluído no primeiro semestre do ano que vem. Serão 32 paradas e quatro estações que vão comercializar os bilhetes: Rodoviária, Central do Brasil, Praça 15 e Aeroporto Santos Dumont.

O segundo eixo do VLT deve ligar a Praça 15 à Central do Brasil.

A prefeitura promete integração física e tarifária com o sistema de ônibus em corredores de maior velocidade – BRT, ônibus comuns, trens, barcas e metrô.

Algumas linhas municipais de ônibus serão eliminadas quando os serviços do VLT forem avançando.

Segundo a prefeitura, cada trem de VLT terá capacidade para 420 passageiros. O intervalo entre as composições em horário de pico deve ser 3,5 minutos e a velocidade média comercial vai variar entre 15 km/h e 17 km/h.

Em nota, a prefeitura informa que vai ser o segundo VLT do mundo com alimentação de energia elétrica pelo solo e não por rede aérea.

“O inovador sistema de fornecimento de energia APS (alimentação pelo solo) fará com que o Rio de Janeiro seja a segunda cidade do mundo a ter um VLT em operação totalmente livre de catenárias, cabos aéreos de captação da energia. O primeiro deste tipo está em operação em Dubai, na Ásia.”

Na mesma nota, o prefeito Eduardo Paes diz que o VLT representa a “volta dos bondes” no Rio de Janeiro.

“Ele será integrado às barcas, aos trens, ao metrô e aos BRTs. Além de representar a volta do bonde, que sempre foi uma marca do Rio, concebido para tornar a cidade mais justa e melhor”  — disse Paes na nota enviada à reportagem pela prefeitura

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes.

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , | Deixe um comentário

MECÂNICA: Cresce frota de ônibus com portas elétricas

Brapax

Ônibus midi da empresa Suzantur, de Mauá, com portas elétricas. Modelo de funcionamento tem ganhado espaço nas empresas de transportes urbanos. Foto: Divulgação

MECÂNICA: Cresce frota de ônibus com portas elétricas

Sistema promete operações mais confiáveis. De acordo com fabricante, o estado de São Paulo possui quase 500 ônibus com este tipo de acionamento de portas

ADAMO BAZANI

As empresas de ônibus parecem estar cada vez mais dispostas a usar a solução de portas elétricas para os veículos no lugar do tradicional acionamento pneumático.

As fabricantes deste tipo de porta dizem que a solução permite operações mais silenciosas, seguras e com menor necessidade de manutenção corretiva.

Uma delas, a Brapax, afirma que a marca já está presente em 432 ônibus no estado de São Paulo de dez clientes diferentes.

A fabricante destaca as mais recentes vendas. Entre elas, portas para 89 veículos da CS Brasil, empresa do Grupo JSL, para linhas de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, e São José dos Campos, no interior paulista. Recentemente, a Suzantur, de Mauá, na região metropolitana, comprou mais 15 ônibus zero quilômetro de carroceria modelo Novo Torino, da Marcopolo. Todos os veículos possuem portas elétricas. No total, a companhia de ônibus tem 67 unidades com este tipo de acionamento.

A Viação Pirajuçara, que opera linhas intermunicipais do Consórcio Intervias, correspondente a área 1 da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, na Grande São Paulo, adquiriu 12 ônibus Caio Millennium com este tipo de porta.

Fora do estado de São Paulo, a solução de funcionamento elétrico para portas de ônibus tem ganhado espaço também.

A Brapax informa que em junho comercializou o sistema para 25 Caio Apache Vip adquiridos pela Viação Pendotiba, de Niterói, no Rio de Janeiro.

Entre as funções oferecidas pelo modelo elétrico estão sistemas antiesmagamento de passageiros e bloqueador de portas e bloqueio de movimento.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Mercedes-Benz para produção de ônibus e caminhões e dá férias para sete mil

Chassi de ônibus da Mercedes-Benz. Empresa ainda sentindo desaquecimento econômico deu férias coletivas a sete mil trabalhadores e parou até o dia 17 a produção de ônibus e caminhões em São Bernardo do Campo.

Chassi de ônibus da Mercedes-Benz. Empresa ainda sentindo desaquecimento econômico deu férias coletivas a sete mil trabalhadores e parou até o dia 17 a produção de ônibus e caminhões em São Bernardo do Campo.

Mercedes para produção de caminhões e ônibus e dá férias a 7 mil

Trabalhadores rejeitaram proposta de redução de jornada e salários

ADAMO BAZANI

A unidade da Mercedes-Benz de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, paralisou a fabricação de ônibus, caminhões e peças até o dia 17 de julho e colocou em férias coletivas aproximadamente sete mil funcionários da planta.

Uma proposta que tinha apoio do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC foi rejeitada em assembleia pelos trabalhadores.

Entre os pontos apresentados nesta proposta estava a redução da jornada de trabalho em 20% por um ano em troca de 10% na redução do valor dos salários no mesmo período.

A Mercedes-Benz alega que as medidas têm sido necessárias para ajustar o tamanho e o custo da mão de obra à queda nas vendas de veículos pesados motivada pela situação econômica do País. Como noticiou o Blog Ponto de Ônibus, de acordo com a Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, as vendas de caminhões e ônibus tiveram neste semestre queda de 38,79% em relação a igual período de 2014. A baixa nos emplacamentos de caminhões foi de 42,11% e a de ônibus chegou a 25,12%.

Esta é outra medida drástica da Mercedes-Benz que diz ter um excedente de quase dois mil trabalhadores, incluindo os da área administrativa, de um total de dez mil funcionários.

Em maio, a empresa desligou 500 funcionários de São Bernardo do Campo, de um grupo de aproximadamente 750 que estavam em lay-off – suspensão temporária dos contratos de trabalho. Destes 500 trabalhadores, 300 foram cortados e 200 colocados em novo lay-off.

Outro ponto da proposta rejeitada pelos trabalhadores previa a readmissão de parte 300 destes funcionários de acordo com o número de aposentados ainda na ativa e pessoas que contam com estabilidade legal dentro da empresa que pudessem aderir a um novo PDV – Programa de Demissão Voluntária para este público.

Os trabalhadores também rejeitaram a proposta de aumento salarial na data-base de maio do ano que vem de metade do INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor do acumulado até lá.  Em acordo anterior, os funcionários concordaram em abrir mão de um aumento real, com índice acima do INPC, mas não aceitam ter correção menor que a inflação oficial do país.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , , , | 1 comentário

Ônibus intermunicipais em São Paulo têm reajuste no valor das passagens

ônibus Vale do Tietê

Ônibus de linha rodoviária intermunicipal. Junto com suburbanos, passagens destes serviços terão aumento neste domingo. Foto: Adamo Bazani

Ônibus intermunicipais em São Paulo têm reajuste no valor das passagens

Aumento não inclui linhas metropolitanas, gerenciadas pela EMTU

ADAMO BAZANI

As passagens de ônibus intermunicipais rodoviários e suburbanos vão ter aumento a partir da zero hora deste domingo, dia 05 de julho de 2015.

O reajuste foi autorizado pela Artesp – Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados de Transportes do Estado de São Paulo e os índices são diferentes para cada tipo de serviço. As passagens de rodoviários vão aumentar 10,53% e as de linhas suburbanas terão reajuste de 13,40%.

“O serviço rodoviário é aquele que opera entre terminais rodoviários ou agências de passagens, com utilização de poltronas numeradas, bagageiro externo e que não permite passageiros em pé. Já o suburbano compreende a cobrança de passagens no interior do veículo, paradas efetuadas em pontos e abrigos e que utiliza ônibus convencional com portas independentes para embarque e desembarque, além de poltronas não numeradas.” – informa a Artesp em nota.

O aumento não vale para os ônibus intermunicipais gerenciados pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos que atendem as regiões metropolitanas de São Paulo, Baixada Santista, Campinas e Sorocaba.

As passagens não foram reajustadas nos últimos 17 meses. De acordo com a Artesp, os índices aplicados levam em conta a média dos aumentos dos custos de operação com itens como as datas-bases dos trabalhadores em maio de 2014 e maio de 2015 e a variação do óleo diesel, que no período teve aumento bruto de 16,91%.

Quem viaja com frequência e quer se livrar do aumento pode comprar ainda hoje as passagens com antecedência. Os bilhetes têm validade por um ano.

Idosos com 60 anos ou mais têm direito a dois assentos gratuitos por ônibus que devem ser solicitados com até 24 horas de antecedência mediante apresentação de documento e disponibilidade no veículo. Se as vagas tiverem sido já preenchidas, há um desconto de 50%.

O Estado de São Paulo possui 631 linhas rodoviárias e 431 suburbanas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , | 1 comentário

ÀS VÉSPERAS DE LICITAÇÃO, HADDAD MANTÉM EM NOVA LEI ISENÇÃO DE IMPOSTO PARA EMPRESAS DE ÔNIBUS

ônibus

Ônibus em São Paulo. Prefeitura mantém isenção do ISS para serviços de transportes públicos em Consolidação das Leis Tributárias do Município. Foto: Adamo Bazani.

Haddad aprova leis tributárias com isenção de imposto para empresas de ônibus

Serviços metroferroviários e cooperativas de radiotáxi também estão dispensados de pagar ISS. Companhias de ônibus já tinham o benefício que precisa constar na nova lei

ADAMO BAZANI

Às vésperas da licitação que deve remodelar pelo menos em alguns aspectos o transporte da cidade de São Paulo, o prefeito Fernando Haddad confirmou a isenção do pagamento do ISS – Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza, tributo municipal, para as empresas de ônibus. Empresas que prestam serviços metroferroviários, como as estatais Metrô e CPTM, além da privada Via Quatro, também contam com o benefício.

As isenções fazem parte da Consolidação das Leis Tributárias cujo decreto 56.235 foi publicado no Diário Oficial do Município neste sábado, dia 04 de julho de 2015.

As viações já tinham esta isenção, mas era necessário que o benefício constasse neste decreto de hoje para continuar valendo.

No caso das empresas de ônibus, para beneficiar todas as companhias, o artigo 254, que dá a isenção, contempla os contratos firmados ainda com a CMTC – Companhia Municipal de Transportes Coletivos, extinta empresa pública.

No artigo 255, específico sobre as empresas que prestam serviços metroferroviários, é prevista redução proporcional da tarifa a isenção do ISS. Não há esta cláusula de reduçãono artigo sobre os transportes por ônibus.

As cooperativas de Rádio Táxi também ficam isentas do imposto.

O projeto de lei que mantém as isenções foi apresentado à Câmara Municipal pelo próprio executivo paulistano. A aprovação por unanimidade ocorreu no dia 25 de fevereiro deste ano.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes.

Confira os artigos do Diário Oficial neste link:

isencao-iss-adamo-bazani

ADAMO BAZANI

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , , , | 3 Comentários

LICITAÇÃO DE SÃO PAULO: Menos mini-ônibus, mais micrões e maior número de viagens

mini ônibus

Frota de ônibus menores será reduzida com licitação. Foto – Internet

Licitação deve diminuir mini-ônibus e aumentar número de micrões e de viagens

Taxa de retorno para os empresários será de 9,9%

ADAMO BAZANI

O prefeito de São Paulo, Fenando Haddad, e o secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto, explicaram na tarde desta sexta-feira como deve ficar o sistema de ônibus da capital após a licitação que deve ter o edital lançado na próxima semana. Nesta sexta, o Blog Ponto de Ônibus informou logo no início do dia, em primeira mão, detalhes do decreto da prefeitura que dá bases para a nova configuração dos serviços. Confira em: https://blogpontodeonibus.wordpress.com/2015/07/03/licitacao-de-onibus-em-sao-paulo-decreto-do-edital-e-publicado-oficialmente/

Na parte da tarde, Haddad e Tatto trouxeram mais detalhes.

VALOR DO CONTRATO, RETORNO E REMUNERAÇÃO:

O valor do contrato com as empresas será de R$ 140 bilhões por 20 anos.

A TIR – Taxa Interna de Retorno para os empresários será de 9,9% em vez dos atuais 18%.

A remuneração vai levar também indicadores de qualidade em consideração e deve ser dividia da seguinte maneira: 50% por passageiros transportados; 40% pelo cumprimento regular das viagens; e 10% por disponibilidade pontual da frota, item que inclui custo da prestação do serviço, as horas operadas, os quilômetros percorridos, por exemplo.

MENOS MINI-ÔNIBUS E MAIS MIDIS:

A composição da frota deve mudar.

Mini-ônbus devem passar dos atuais 4 mil para 250.

Midi (micrões) devem ir de mil para 2 mil veículos.

Superarticulados: deve ir dos atuais 500 para 2.500

Os demais modelos, como Padron e Básico devem ter poucas alterações.

Com o uso de veículos maiores, Tatto estima que a quantidade de lugares no sistema passe dos atuais 1,2 milhão para 1,35 milhão.

MAIS VIAGENS:

Tatto também prometeu um aumento no número de viagens por causa dos enxugamentos das extensões das linhas. Das atuais 245 milhões de partidas por mês, o número deve passar para 280 milhões mensais.

TIPOS DE LINHAS DE ÔNIBUS EM SÃO PAULO:

A previsão do decreto é classificar as linhas para a licitação em: Estruturais Radiais, Estruturais Perimetrais, Locais de Articulação Regional, Locais de Distribuição, Linhas Locais Rurais.

As características de cada uma delas são:

  1. Linhas Estruturais Radiais (LER): são as linhas do Subsistema Estrutural, que atendem as ligações dos Setores de Ônibus com a Região Central da Cidade, bem como aquelas queatendem as Centralidades Regionais Urbanas ao longo dos eixos viários que compõem a ligação com a Região Central;
  2. Linhas Estruturais Perimetrais (LEP): são as linhas do Subsistema Estrutural, que articulam as ligações radiais estruturais de ônibus, ligam as centralidades urbanas regionais e Setores de Ônibus, com trajetos não radiais, sem passar pelo Centro Histórico da Cidade, ligando regiões dispostas nos anéis viários da cidade;

III. Linhas Locais de Articulação Regional (LLA): são as linhas que ligam os Setores de Ônibus às centralidades urbanas de alcance regional, que interligam os Setores de Ônibus situados em Áreas Operacionais distintas, que atendem à ligação com a Região Central com percurso predominantemente fora do VEIO, e as linhas cuja função da ligação se configure como de atendimento de natureza regional;

  1. Linhas Locais de Distribuição (LLD): são as linhas que realizam as ligações internas aos Setores de Ônibus, atendendo as centralidades de bairro e centralidades urbanas de alcance regional inseridas no Setor de Ônibus ou que realizam algumas ligações externas ao Setor de Ônibus, cumprindo a função de alimentação do Subsistema Estrutural, mediante atendimento aos terminais de ônibus e às estações da rede metroferroviárias localizadas em outro Setor, desde que observem características complementares, como: a) os Terminais e Estações de Metrô não estejam inseridos na área de influência de uma centralidade urbana de alcance regional; b) possuam traçados com maior capilaridade, com abrangência de atendimento típica de áreas residenciais; c) possuam traçados que requeiram o uso de veículos de pequena capacidade em razão das características geométricas das vias e topográficas dos traçados;
  2. Linhas Locais Rurais (LLR): são as linhas enquadradas na categoria de Serviços Complementares que atendem as regiões da Macroárea de Contenção Urbana e Uso Sustentável e Macroárea de Preservação de Ecossistemas Naturais, definidas no Plano Diretor Estratégico.

As centralidades urbanas de alcance regional definidas acima compreendem as áreas de ocupa- ção predominantemente comercial e de serviços, de alta atração de viagens, que polarizam uma determinada região geográfica da cidade, concentrando vários pontos de controle de linhas, e que oferecem conexões entre elas para vários destinos, a seguir relacionadas: I. Penha; II. Vila Prudente; III. Santo Amaro; IV. Pinheiros; V. Lapa; VI. Barra Funda; VII. Santana. 3.3. Na ocorrência de dúvidas de classificação

REDES DE LINHAS DE ÔNIBUS:

O decreto prevê quatro redes:  Referência (dias úteis e sábado), Reforço (horários de pico de dias úteis), Madrugada e Domingo, conforme especifica a publicação desta sexta-feira:

  1. TIPOLOGIA DE REDES 4.1. O conjunto de linhas do Serviço Integrado terá características diferenciadas adequadas às varia- ções de demanda e aos padrões de deslocamento dos usuários conforme os dias da semana (dias úteis, sábados e domingos) e períodos do dia, estabelecendo conjuntos personalizados de linhas, classificadas da seguinte forma:
  2. Rede de Referência de Dia Útil e Sábados: conjunto de linhas definidas para o atendimento, com oferta em rede, da demanda de fora dos horários de pico de dias úteis; II. Linhas de Reforço (Horários de Pico dos Dias Úteis): conjunto de linhas para complementa- ção do atendimento da Rede de Referência de Dia Útil nos horários de pico, ou em outros horários específicos, caracterizadas por linhas com traçado que ofereça atendimento direto dos bairros à região do Centro Histórico da Cidade e às centralidades urbanas de âmbito regional, estabelecidas de forma a evitar saturações dos equipamentos públicos de integração e deseconomias decorrentes de transferência de elevados fluxos de passageiros entre linhas em condi- ções pouco confortáveis;

III. Rede da Madrugada (dia útil, sábado e domingo): conjunto de linhas definidas para o atendimento, com oferta em rede, da demanda específica do período das 0h:00min às 4h:00 min, para o atendimento de trabalho, lazer e entretenimento deste período do dia;

  1. Rede de Domingo: conjunto de linhas definidas para o atendimento, com oferta em rede, da demanda específica de dias de domingo e feriados, para atendimento de trabalho, lazer e entretenimento destes tipos de dia.

4.2. Em correspondência à classificação dos conjuntos de linhas definidos acima, as linhas do Sistema Integrado de Ônibus, além de sua classificação funcional, se diferenciam quanto à sua jornada operacional ao longo do tempo, da seguinte forma:

  1. Linhas de Referência da Rede, ou simplesmente Linhas de Referência: todas as linhas estruturais ou locais que compõem uma das três redes especificadas acima (Rede de Referência de Dia Útil e Sábados, Rede da Madrugada, Rede de Domingo);
  2. Linhas de Reforço de Pico: toda linha com operação limitada aos períodos de pico, manhã ou tarde, destinada a complementar a operação de uma Linha de Referência, no interesse da regulação da oferta à demanda;

III. Linhas Especiais: toda linha que seja estabelecida em caráter permanente ou transitório, para atendimento de demandas pontuais de comunidades ou de polos de atração em horários específicos do dia, bem como em eventos da Cidade.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , | 12 Comentários