Na calada da noite, Donisete Braga manda Leblon sair de Mauá

Donisete Braga

Prefeito de Mauá, Donisete Braga. Na calada da noite, às 23h30 de sexta-feira, próximo ao Réveillon, prefeitura manda ofício para a Leblon recorrer. Youtube

Na calada da noite, Donisete Braga manda Leblon sair
Paço anunciou que Suzantur, contratada pelo prefeito, iria assumir no lugar da Viação Cidade de Mauá, o que não deve mais acontecer;
ADAMO BAZANI – CBN
Na sexta-feira, dia 27 de dezembro por volta das 23h30, a Prefeitura de Mauá mandou um ofício para a Leblon Transporte de Passageiros determinando que a empresa recolha no domingo os ônibus de todas as linhas.
A decisão do prefeito de Mauá, Donisete Braga, causou espanto até mesmo na imprensa.
No início da noite da mesma sexta-feira, a prefeitura divulgou à imprensa que a empresa emergencial Suzantur assumiria 14 linhas do lote 01, operado pela Viação Cidade de Mauá – VCM, de Baltazar José de Sousa, no sábado. Para isso, alegou que conseguiu derrubar decisão judicial do Tribunal de Justiça do Amazonas que impedia o fim das operações da VCM por ela fazer parte de um grupo em recuperação judicial.
Mas a prefeitura recuou de colocar a contratada sem licitação Suzantur no lugar da VCM e optou por retirar as linhas da Leblon.
No ofício enviado para a Leblon, não é citada nenhuma decisão judicial que determine o fim das operações.
As últimas movimentações do STJ – Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, mostram que no dia 23 de dezembro, o ministro-presidente da Corte, Félix Fischer, não reconheceu o pedido da prefeitura para que fosse derrubada a liminar que mantém a Leblon em operação.
Ele disse que valeria decisão do Tribunal de Justiça.
O presidente do TJ-SP, Ivan Sartori, suspendeu em 18 de novembro, a liminar que mantinha a Leblon operando. Mas em 13 de dezembro, o desembargador do TJ-SP, Evaristo dos Santos, restabeleceu o mandado de segurança e garantiu as operações da Leblon. No dia 16 de dezembro, a prefeitura de Mauá entrou com reclamação junto a Ivan Sartori contestando a competência de Evaristo dos Santos para restabelecer o mandado de segurança pró-Leblon. No dia 19 de dezembro, Ivan Sartori negou o recurso da prefeitura e manteve a decisão de Evaristo Santos.
Mesmo com a vitória sobre a Viação Cidade de Mauá em 16 de dezembro, a prefeitura não se apressou em cumprir a ordem judicial contra a empresa de Baltazar José de Sousa que monopolizou os transportes na cidade por 30 anos e criou as empresas Trans-Mauá e Estrela de Mauá, hoje registradas com outros donos. Antes preferiu tentar derrubar as liminares que garantiam a Leblon.
Ocorre que o último movimento registrado no Tribunal de Justiça, ao qual o STJ disse ser de responsabilidade sobre o caso, é favorável à empresa Leblon.
Donisete Braga nega perseguições a empresas de ônibus e disse que quer implantar um novo modelo de transportes na cidade que melhore a mobilidade urbana.
Mas o fato de ele não agir já quando tinha a decisão para tirar a VCM – Viação Cidade de Mauá – e se movimentar rapidamente para tirar a Leblon é polêmico.
VCM e Leblon são acusadas por Donisete Braga de supostamente consultarem da maneira indevida o sistema de bilhetagem eletrônica da cidade.
A acusação é controversa. A própria corregedora-geral da Prefeitura de Mauá, Thaís de Almeida Miana, em parecer de 27 de junho de 2013, aceitou s argumentos da Leblon de que não houve invasão e sim consultas autorizadas pela prefeitura a dados que as empresas tinham o direito de saber. Ela recomendou a realização de um outro processo de sindicância mais técnico e imparcial. Recomendação esta que foi ignorada por Donisete Braga.
Os diversos níveis da Justiça também não julgaram o mérito da sindicância.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 61 Comentários

Suzantur assume linhas da VCM e prefeitura se atrapalha ao informar sobre processo no STJ

ônibus

Prefeito Donisete Braga diz que quer estabelecer novo modelo de transportes no município. No sábado, Suzantur deve operar em parte das linhas da VCM – Viação Cidade de Mauá. Prefeitura afirma que obteve vitória no STJ sobre a Leblon, mas corte desmente e diz que apenas foi juntado um pedido da Leblon para ter acesso à sentença. Foto: Jornal Hoje Livre

Suzantur assume 14 linhas da Viação Cidade de Mauá
Plano de Donisete Braga para colocar a empresa na cidade ganha mais um capítulo neste sábado
ADAMO BAZANI – CBN
A novela dos transportes de Mauá, na Grande São Paulo, ganha mais um capítulo.
Neste sábado, a empresa emergencial Suzantur, contratada de maneira polêmica pelo prefeito Donisete Braga, do PT-SP, assume 14 linhas da VCM – Viação Cidade de Mauá, segundo informações da Prefeitura de Mauá. Já segundo informações da Suzantur, as operações começam no domingo. Sábado haverá uma reunião na garagem da Suzantur às 10 horas para acertar o início das operações.
O clima era de tensão e revolta entre os funcionários da Viação Cidade de Mauá que ao final do ano veem novamente empregos e direitos ameaçados.
A prefeitura garantiu que a mão de obra da VCM seria assumida pela Suzantur. Mas não explicou aos trabalhadores alguns pontos: A Suzantur já tem um quadro de funcionários, basicamente formado por ex empregados da Viação Estrela de Mauá, que a exemplo da VCM – Viação Cidade de Mauá, foi fundada pelo empresário Baltazar José de Sousa, mas hoje é presidida por David Barioni Neto. Haveria na Suzantur espaço para todos os funcionários?
Outra questão é que a prefeitura de Mauá disse que em janeiro será realizada uma nova licitação para a colocação de novas viações na cidade.
Mas então o que adiantaria a Suzantur assumir os funcionários da Viação Cidade de Mauá se ela é emergencial e haveria outra licitação no início do ano? Só se já for certo que a Suzantur vai ganhar a licitação. Mas como haveria uma certeza dessa antes da apresentação das propostas. aliás, nem edital existe.
São perguntas cujas respostas ainda não são deixadas claras pelo executivo municipal.
A VCM – Viação Cidade de Mauá operava respaldada por uma decisão do TJ-AM do Tribunal de Justiça do Amazonas. No estado, uma das empresas de Baltazar José de Sousa está em recuperação judicial, a Soltur – Solimões Turismo. O processo de recuperação engloba a todas as 33 empresas de Baltazar José de Sousa, incluindo a Viação Cidade de Mauá.

JOGO DE DATAS CAUSA ESTRANHEZA:

A prefeitura diz que conseguiu reverter a decisão do TJ-AM. No dia 16 dezembro, a prefeitura obteve a vitória sobre a Viação Cidade de Mauá. Só que não procurou o cumprimento imediato da decisão. Ela preferiu recorrer contra a Leblon no dia 20 de dezembro. Mas no dia 23, não obteve vitória contra a Leblon no STJ.
Só aí, que a prefeitura decidiu restabelecer a Suzantur no lote 01.
Essa demora de a prefeitura de Mauá fazer cumprir a vitória sobre a VCM e a agilidade nas ações contra a Leblon causam estranheza na população e no setor de transportes local.
No dia 16 de dezembro, a prefeitura entrou com reclamação sobre a competência do desembargador Evaristo dos Santos que restabeleceu o mandado de segurança que garante a Leblon em Mauá. No dia 19 de de dezembro, o presidente Ivan Sartori, do TJ, confirmou a competência de Evaristo dos Santos a manteve as operações da Leblon.
Só no dia seguinte então, 20 de dezembro, é que a prefeitura derrotada no TJ-SP, entrou com recurso no STJ. Mas não informou ao Superior Tribunal de Justiça dessa decisão que legitima e confirma a sentença de Evaristo dos Santos.
Em 23 de dezembro, o ministro –presidente do STJ negou pedido da Prefeitura de Mauá para que o mandado de segurança que mantém a Leblon operando fosse derrubado.
Ontem, dia 27 de dezembro, foi “juntada petição de procuração/substabelecimento”. Na verdade, houve um pedido da Leblon para ter acesso à sentença que mantém a empresa e não houve vitória do executivo municipal, como foi informado pela administração da cidade.

NOMES EM COMUM:

A Suzantur é de Claudinei Brogliato e Ângelo Roque Garcia. José Garcia Netto é um dos donos do banco Caruana, que financiou ônibus para Baltazar José de Sousa e cedia um cartão de crédito para os funcionários das empresas de Baltazar na cidade, quando elas se chamavam Viação Barão de Mauá e Viação Januária.
Além de ser dono do Caruana, credor de Baltazar, José Garcia Netto (Netinho) é hoje dono da Trans-Mauá, outra empresa que foi criada por Baltazar José de Sousa, a exemplo da Viação Estrela de Mauá, para disputar o lote 02 do município.
O lote 02 é operado pela Leblon Transporte de Passageiros. Donisete Braga tenta desde o meio do ano retirar a Leblon da cidade e deve intensificar as investidas contra a Leblon.
Mas a empresa possui decisões favoráveis no Tribunal de Justiça de São Paulo e no Superior Tribunal de Justiça – STJ, em Brasília, para sua permanência.
Em 2014, a prefeitura de Mauá deve redobrar os esforços para tirar a Leblon, empresa que ao entrar em operação em 2010 quebrou o monopólio na cidade que por mais de 30 anos era controlado por Baltazar José de Sousa e empresários do mesmo grupo.
A prefeitura de Mauá afirma que descredenciou a Viação Cidade de Mauá e a Leblon por supostas consultas indevidas ao sistema de Bilhetagem Eletrônica.
Mas a questão é polêmica. A corregedora-geral do município, Thais de Almeida Miana, em parecer de 27 de junho de 2013, aceitou os argumentos da Leblon de que as consultas foram autorizadas pela prefeitura e que a própria administração municipal treinou as empresas para terem acesso a dados que seriam de direito das companhias de ônibus.
A corregedora recomendou um novo processo de sindicância, imparcial e técnico, mas a recomendação da corregedora foi ignorada pelo prefeito Donisete Braga.
Donisete, por sua vez, diz que quer implantar um novo modelo de transportes na cidade para melhorar a mobilidade urbana.
O prefeito acredita que um novo modelo de transportes se dá pela troca de operadores da cidade.
Nos bastidores do setor de transportes da cidade, a informação é que desde a época do antecessor de Donisete Braga, o também prefeito petista Oswaldo Dias, o objetivo das ações é unicamente tirar a Leblon e permitir a volta do monopólio, mesmo que de maneira disfarçada. Naquela ocasião, a Viação Estrela de Mauá foi colocada nas linhas do lote 02, mas o ato foi considerado ilegal pela justiça que em janeiro ordenou a saída da Estrela de Mauá. A ordem não foi cumprida por Donisete Braga e a polícia militar teve de intervir para que a decisão judicial fosse obedecida.
O representante do grupo de militância social, Rafael Rodrigues, fez um pronunciamento na Câmara de Mauá e com documentos mostrou fatos e nomes que ligam direta ou indiretamente o banco Caruana, a Viação Estrela de Mauá, a Viação Cidade de Mauá, Baltazar José de Sousa e a emergencial Suzantur.
Vereadores, insatisfeitos coma postura de Donisete que não os consultou sobre as mudanças, disseram que iriam investigar as supostas relações. Mas, até o momento, os vereadores de Mauá só ficaram no discurso e na prática não tomam nenhuma ação, como a abertura de uma CPI, para esclarecer as atitudes de Donisete que, se legítimas ou não, têm levantado muitas suspeitas e desconfianças na população.
Donisete Braga nega perseguição a empresas de ônibus ou favorecimentos a grupos empresariais.
Mas é justamente a questão da mobilidade urbana que tem mais desgastado o prefeito de Mauá.
Por um lado, ele tenta tirar a Leblon que, segundo pesquisa realizada pela empresa especializada Tectrans, tem aprovação de 94% da população. A Leblon, além de quebrar o monopólio dos transportes na cidade, trouxe 100% de ônibus zero quilômetro e acessíveis a portadores de necessidades especiais e conquistou pelas operações em Mauá as certificações ISO 9001 (qualidade) e ISO 14001 (respeito ao meio ambiente).
Por outro lado, a prefeitura de Mauá não tem conseguido avançar em questões mais simples sobre a mobilidade que independem da atuação das empresas de ônibus, como a prometida reforma dos terminais, que só deve acontecer com recursos federais, e a qualidade do asfalto.
Até mesmo a implantação de faixas exclusivas para ônibus na cidade no dia 26 de dezembro, na Avenida Barão de Mauá, gerou confusão. A sinalização dos horários e sentidos foi implantada de maneira incorreta, confundindo motoristas e passageiros.
Em nota, a prefeitura de Mauá diz que o poder público está retomando o controle dos transportes e que 57 ônibus da Suzantur vão operar no lugar de parte da frota da Viação Cidade de Mauá, que tem 120 veículos.
O órgão diz que a idade média dos ônibus de Brogliato e Garcia é de três anos, mas não menciona o fato de que a maioria dos veículos era da Oak Tree, empresa que faliu na Capital Paulista. Estes ônibus foram alvos de insatisfação da população: eles têm portas à esquerda que ficam inutilizadas, possuem apenas uma porta para embarque e outra para desembarque, além de catraca no meio do ônibus, tudo isso dificultando o a locomoção dos passageiros, e ,muitos não possuem equipamentos de acessibilidade. Alguns ônibus hoje com o nome da Suzantur são exatamente os mesmos que operaram pela Estrela de Mauá.

PREFEITURA NÃO OBTEVE VITÓRIA NO STJ:

Na mesma nota, a prefeitura de Mauá diz que obteve vitória no processo contra a Leblon no STJ – Superior Tribunal de Justiça.
Mas o STJ corrigiu a informação da prefeitura.
Em 23 de dezembro, o ministro –presidente do STJ negou pedido da Prefeitura de Mauá para que o mandado de segurança que mantém a Leblon operando fosse derrubado.
Ontem, dia 27 de dezembro, foi “juntada petição de procuração/substabelecimento”. Na verdade, houve um pedido da Leblon para ter acesso à sentença que mantém a empresa e não houve vitória do executivo municipal, como foi informado pela administração da cidade.
No teor da decisão, o ministro foi claro ao dizer que a causa compete ao TJ-SP /Tribunal de Justiça de São Paulo. Por isso que não “conheceu” o pedido da Prefeitura. Ou seja, não houve vitória do Paço no STJ porque a causa não foi conhecida pela corte.
O desembargador do TJ, Evaristo dos Santos, restabeleceu o mandado de segurança que mantém a Leblon operando.
A administração de Donisete Braga recorreu no TJ-SP ao presidente da corte, Ivan Sartori, dizendo que Evaristo não tinha competência de restabelecer o mandado.
Mas Ivan Sartori não aceitou os argumentos da prefeitura de Mauá e reconheceu a competência do desembargador Evaristo dos Santos.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 19 Comentários

Ano Novo: Um milhão de pessoas devem passar pelos terminais rodoviários

ônibus

Ônibus rodoviário. Um milhão de pessoas devem passar pelos terminais do Tietê, Barra Funda e Jabaquara neste feriado de ano novo. Passageiros devem se programar para evitar transtornos.

Terminais Rodoviários de São Paulo devem receber 1 milhão de pessoas neste Ano Novo
Só entre hoje e amanhã, 228 mil pessoas devem deixar a capital e a região metropolitana pelo Tietê, Barra Funda e Jabaquara
ADAMO BAZANI – CBN
Até quinta-feira, dia 02 de janeiro, devem embarcar e desembarcar pelos Terminais Rodoviários do Tietê, Barra Funda e Jabaquara aproximadamente um milhão de pessoas.
A previsão é da empresa Socicam, que administra estas rodoviárias.
Somente entre hoje e amanhã serão 228 mil passageiros deixando a cidade de São Paulo e a região Metropolitana por estes três terminais.
Por causa do grande número de pessoas, as empresas de ônibus colocaram veículos extras. Mesmo assim, o passageiro deve estar atento para evitar transtornos.
Comprar os bilhetes com antecedência nos guichês ou nos endereços eletrônicos das companhias de ônibus e chegar à rodoviária com no mínimo uma hora antes do horário da partida são algumas das dicas que o passageiro deve seguir.
Os destinos mais procurados são Angra dos Reis, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e cidades do interior e litoral de São Paulo.
As bagagens devem ser identificadas e em caso de dúvidas, o passageiro deve procurar somente os funcionários uniformizados dos terminais rodoviários.
Crianças menores de doze anos (munidas de documento de identificação) podem viajar acompanhadas dos pais, responsáveis legais, irmãos com mais de 18 anos, avós ou tios de primeiro grau, caso contrário, precisam de autorização escrita, assinada pelo pai, mãe ou responsável, com firma reconhecida.
A Socicam vai colocar um número 15% maior de funcionários nas áreas de manutenção, limpeza, segurança e informação.
De acordo com a empresa, os principais destinos de cada terminal são:
TERMINAL TIETÊ – cidades do sul de Minas Gerais, do interior de São Paulo e do Vale do Paraíba, e de Santa Catarina, Angra dos Reis, Belo Horizonte, Curitiba, Goiás, Paraty, e Rio de Janeiro.
TERMINAL BARRA FUNDA – Bauru, Marília, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Presidente Prudente, Sorocaba e Porto Soares (Bolívia).

TERMINAL JABAQUARA
– cidades do litoral sul de São Paulo.
Adamo Bazni, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

Distrito Federal recebe mais 102 ônibus novos

ônibus

Distrito Federal recebe mais 102 ônibus novos. Desde o final do processo de licitação foram mais de 1 mil veículos de transportes coletivos zero quilômetro colocados em operação. Foto: Dênio Simões, Governo do Distrito Federal

Distrito Federal recebe mais 102 ônibus novos
Agora já são mais de mil veículos que foram colocados zero quilômetro no sistema
ADAMO BAZANI – CBN
O sistema de transportes do Distrito Federal, que concluiu a licitação dividindo os serviços em cinco lotes, recebeu na manhã desta quinta-feira, dia 26 de dezembro, mais 102 ônibus novos.
Com isso, já são mil e 34 ônibus colocados zero quilômetro em operação na região.
Os veículos apresentados nesta manhã são da Viação Marechal, do lote 04, com 60 ônibus, e 42 do Consórcio HP-ITA, operador do lote 02.
Os novos ônibus da Marechal vão atender nove linhas nas regiões de Taguatinga, Ceilândia, Águas Claras e parte do Park Way.
Já os coletivos novos do HP-ITA vão atender as áreas de Samambaia, Recantos das Emas, Riacho Fundo I e Riacho Fundo II.
Os novos ônibus colocados no sistema permitem integração: num período de duas horas, o passageiro pode pegar um segundo ônibus no mesmo sentido de viagem pagando uma tarifa.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , , , , , | 8 Comentários

Fortaleza deve ter 130 quilômetros de corredores de ônibus até 2016

ônibus

Ônibus em Fortaleza. Prefeitura promete mais de 130 quilômetros de corredores de ônibus até 2016.

Fortaleza deve ter mais de 130 quilômetros de corredores de ônibus até 2016
Boa parte da verba virá do PAC da Mobilidade
ADAMO BAZANI – CBN
A cidade de Fortaleza deve ter até 2016, 131,5 quilômetros de corredores exclusivos de ônibus.
Uma boa parte destes corredores será do tipo BRT – Bus Rapid Transit, que oferece mais condições para a circulação dos ônibus e comodidade dos passageiros: pontos de ultrapassagem, separação real do trânsito dos demais veículos, estações com acessibilidade, possibilidade de pagamento das tarifas antes do embarque no veículo, entre outras características.
O total de corredores previstos engloba novos projetos que devem contar com investimentos do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento e as obras já em andamento.
Um dos corredores que devem ser transformados em BRT de fato é o da Avenida Bezerra de Menezes, que hoje só conta com espaços preferenciais. Ou seja, faixas e corredores simples vão se tornar um sistema de transportes de maior velocidade.
A previsão para isso é até julho de 2014.
Devem contar com o sistema de BRT também as seguintes vias:
Presidente Castelo Branco, Raul Barbosa, Vital Brasil, Aguanambi e Perimetral
No ano que vem, serão 30 quilômetros de corredores BRT, de acordo com a Prefeitura.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , | 4 Comentários

Faixa exclusiva para ônibus começa a funcionar nesta quinta-feira em Mauá

ônibus

Ônibus em Mauá. Seguindo o exemplo da Capital Paulista, cidade vai inaugurar faixa exclusiva para ônibus. Foto: Adamo Bazani.

Faixa exclusiva para ônibus em Mauá começa a funcionar no dia 26
Espaço é na avenida Barão de Mauá, um dos principais eixos de transportes da cidade
ADAMO BAZANI – CBN
As cidades da Grande São Paulo seguem o exemplo da Capital Paulista, que neste ano implantou 291 quilômetros e 400 metros de faixas exclusivas para ônibus, e também apostam nestes espaços para aumentar a velocidade do transporte público.
Depois de Santo André, no ABC Paulista, inaugurar três quilômetros e cem metros no início do me, na região central da cidade, agora é a vez de Mauá ter faixas exclusivas para ônibus.
Nesta quinta-feira, dia 26 de dezembro, começa a operar a faixa na Avenida Barão de Mauá, um dos principais eixos de transportes públicos da cidade, que recebe os ônibus da Viação Cidade de Mauá e Leblon Transporte. Ambas atendem diariamente 160 mil passageiros.
A faixa de cinco quilômetros vai operar entre a as 5 horas da manhã e 8 horas da manhã e das 5 horas da tarde às 8 horas da noite.
As ruas Cineasta Glauber Rocha, Romano, Prefeito Ênnio Brancalion, Luis Mariani e Getúlio Vargas que fazem parte do eixo da Barão de Mauá também terão espaços exclusivos.
Inicialmente não haverá aplicação de multas. Mas depois a autuação vai seguir o que determina o CTB – Código de Trânsito Brasileiro, multa de R$ 53,20 e três pontos na Carteira Nacional de Habilitação para quem invadir o espaço dedicado ao transporte coletivo.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , , , , | 12 Comentários

Passagens de ônibus em Sorocaba a R$ 1, no dia de Natal

ônibus

Ônibus em Sorocaba, no interior de São Paulo. No Natal, passageiros pagam R$ 1,00 pela tarifa.

Em Sorocaba, Natal tem passagens de ônibus a R$ 1
Benefício, que também vale aos domingos é destinado aos passageiros com “cartão social”
ADAMO BAZANI – CBN
Passageiros de ônibus municipais de Sorocaba, no interior Paulista, pagam nesta quarta-feira, dia de Natal, R$ 1,00 pelas tarifas de ônibus.
O benefício é concedido aos usuários que possuem o chamado “cartão social” e vale também aos domingos, conhecido também como “Domingão”
De acordo com a Urbes, empresa gerenciadora dos transportes na cidade, informa que os passageiros interessados no cartão social podem retirar o bilhete na Casa do Cidadão, que tem várias unidades no município. É necessário apresentar um documento de identidade.
Ainda segundo a Urbes, os usuários podem utilizar o cartão cidadão de outras pessoas da família, descontando o valor de créditos pelo número de passagens na catraca.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Publicado em Notícia | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário