OS MOTIVOS DA IMPRUDÊNCIA

ônibus invade calçada

Micro-ônibus invadiu a calçada na Avenida Mateo Bei, na Zona Leste. Bombeiros e helicóptero Águia, da Polícia Militar, estão no local. (Foto: Reprodução/TV Globo)

MARCOS GALESI

Há alguns dias estava eu na rua Harry Danhemberg e fui vitima de uma imprudência de um motorista de lotação. Em frente ao Habib’s esta lotação da Transcooper Leste tinha que entrar à esquerda e eu estava na pista da direita ou seja sentido Estação Itaquera e a lotação estava no sentido Pq do Carmo porém ele tinha que acessar a rua Itapitanga e conseqüentemente a rua São Teodoro e eu com o carro da minha namorada aguardando o carro da frente se movimentar até que esta lotação da Transcooper leste praticamente quase leva junto pára-choque e capa de Lanterna porém ele arrebentou a capa de lanterna.
O motorista de vez de aguardar eu manobrar o carro para discutirmos o prejuízo praticamente partiu e acabei ficando no prejuízo, conclusão: Não consegui marcar o prefixo da lotação porque eu estava praticamente nervoso com o acontecimento e fiquei com prejuízo de R$ 15,00. É um valor mínimo, mas e se fosse o pára-choque ou então amassado a traseira do Uno?? Eu teria que arcar com o prejuízo para arrumar o veículo na qual me foi confiado.
Embora não marquei o prefixo do carro, liguei para a Transcooper Leste e fui muito bem atendido e eles fizeram o possível para identificar o cooperado que acabou com a capa de lanterna traseira, porém sem sucesso. A pessoa que me atendeu, até me disse que infelizmente entre os cooperados, muitos ainda agem como perueiros e não como cooperados da empresa. No outro dia, perguntei para uma pessoa junto à SPTrans se as cooperativas recebem treinamento, e ele me afirmou que a SPTrans dá o devido treinamento, mas que muitos não seguem a cartilha de boa conduta do transporte.
Sabemos que situações assim, acontecem não apenas com cooperativas, mas também com empresas de ônibus que dão o devido treinamento aos seus motoristas, existe até uma cartilha de boa conduta dentro das empresas, mas não são sempre seguidas.
Foi aí que acabei refletindo: Estamos num período na qual CET junto com SPTrans, fazem campanhas de educação de trânsito, e em minha experiência na qual estou trabalhando no projeto Travessia Segura, presencio que muitos
motoristas não tem respeito, passam por semáforos fechados, muitos fazem conversões erradas, desrrespeitam os pedestres estacionando seus carros sobre a faixa de Travessia, então o que vemos é que infelizmente o motorista brasileiro não tem a devida educação. Grande é a imprudência que vemos no dia dia. Em minhas pesquizas, vamos ver alguns levantamentos.

Vejamos alguns artigos:

Sobe para 27 nº de feridos em acidente entre ônibus e lotação

Qua, 16 de Fevereiro de 2011 11:21
Maioria das pessoas já foi liberadas, segundo Secretaria de Saúde; uma pessoa levada ao Hospital das Clínicas
Priscila Trindade – Central de Notícias
Subiu para 27 o número de pessoas feridas no acidente envolvendo um micro-ônibus e um ônibus em Pirituba, na zona oeste de São Paulo, na manhã desta terça-feira, 13. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a maioria das vítimas teve ferimentos leves e foi liberada por volta das 14 horas. Entre elas estava uma criança de um ano.
O número inicial era de que 15 pessoas haviam ficado feridas. Ao todo, 16 pessoas foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros e 11 pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Uma pessoa em estado grave foi encaminhada para o Hospital das Clínicas e segue internada.
O acidente aconteceu na Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, na altura do número 10.535, por volta das 8 horas. Um micro-ônibus da Cooperativa Transcooper, que fazia a linha Perus-Parque Residencial Lapa, bateu na traseira do ônibus da Viação Santa Brígida, do trajeto Cidade D’Abril-Terminal Piritiba, segundo a SPTrans. Por causa do acidente, o trânsito ficou complicado na avenida durante toda a manhã. A pista só foi liberada por volta das 13h.
Fonte:

http://www.canaldoonibus.com/pt/noticias/133-sobe-para-27-no-de-feridos-em-acidente-entre-onibus-e-lotacao.html

Motociclista morre após colidir com micro-ônibus na Orfanato
Seg, 30 de Maio de 2011 12:23 Rafael Gonçalo
No início da manhã desta segunda-feira, dia 30, o motociclista Gabriel Gomes Platero, de 29 anos, veio a falecer depois de bater sua moto de frente com o micro-ônibus da linha Metrô Tatuapé/Vila Califórnia, na esquina da rua do Orfanato com a rua Carlos Müller, na Vila Prudente. Por volta das 7h, Platero seguia com a sua Yamaha Fazer pela Orfanato, sentido bairro, quando a motorista do micro-ônibus, Z. M. F. S., de 38 anos, que seguia no lado contrário da via, tentou entrar à esquerda na rua Calos Muller. Os dois acabaram batendo de frente e o motociclista foi parar embaixo das rodas dianteiras da lotação. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado, mas o rapaz não resistiu aos ferimentos e morreu no local.
A faixa sentido bairro da via ficou interditada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) por cerca de 3h30 após o acidente, esperando a realização da perícia do local por parte da Polícia Civil e a retirada do corpo da vítima pelo Instituto Médico Legal ( IML).
O caso foi encaminhado para o 56º Distrito Policial – Vila Alpina e registrado como homicídio culposo na direção de veículo automotor, quando não há intenção de matar.
Fonte: http://www.folhavp.com.br/ultimas-noticias/598-motociclista-morre-apos-colidir-com-micro-onibus-na-orfanato.html

Lotação invade calçada e atinge camelôs na Zona Leste de SP
Veículo só parou depois de bater num poste.
Equipes de resgate já estão no local.
Do G1, com informações do SPTV

Micro-ônibus invadiu a calçada na Avenida Mateo Bei, na Zona Leste. Bombeiros e helicóptero Águia, da Polícia Militar, estão no local. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Um micro-ônibus subiu na calçada e atropelou várias pessoas na Avenida Mateo Bei, em São Mateus, na Zona Leste de São Paulo, no início da tarde desta segunda-feira (1º). O veículo atingiu também bancas de camelô antes de bater em um poste.
Equipes de resgate dos bombeiros e o helicóptero Águia, da Polícia Militar, foram enviados para o local. Há a informação de que oito pessoas ficaram feridas. O Corpo de Bombeiros confirma apenas que três vítimas ficaram gravemente feridas e foram levadas para o Hospital das Clínicas, para o Hospital São Mateus e para o Hospital Santa Marcelina. O Samu informou que quatro pessoas foram socorridas e levadas para o Hospital de São Mateus. O serviço não soube informar o estado das vítimas.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL1471629-5605,00-LOTACAO+INVADE+CALCADA+E+ATINGE+CAMELOS+NA+ZONA+LESTE+DE+SP.html

Acidente entre ônibus e lotação deixa 30 feridos na zona leste
Plantão | Publicada em 08/12/2006 às 16h54m
O Globo Online
SÃO PAULO – Pelo menos 30 pessoas ficaram feridas, pelo menos 26 com gravidade, num acidente envolvendo um ônibus e um microônibus na Avenida Aricanduva, na zona leste de São Paulo, altura do número 5 602, próximo ao CEU Aricanduva. De acordo com os bombeiros, há informações de uma vítima fatal.
De acordo com os bombeiros, o acidente aconteceu por volta de 15h02. O microônibus atingiu a traseira do ônibus. Com a violência do impacto, a cabine do microônibus ficou totalmente destruída. Ainda não se sabem as causas do acidente.
De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), duas faixas da avenida no sentido São Mateus estão sendo ocupadas pelos veículos. Há lentidão até a Avenida Dalila.
Pelo menos 12 viaturas do Corpo de Bombeiros, além do helicóptero Águia da Polícia Militar, foram enviados ao local para socorrer as vítimas. Os feridos foram levados para o Hospital das Clínicas, PS de Vila Alpina, PS de Sapopemba e Hospital Santa Marcelina. As vítimas foram socorridas pelos policiais e pelo Samu.
Este é o segundo acidente envolvendo ônibus e lotações nesta sexta-feira. Por volta de 12h40, nove pessoas ficaram feridas em um acidente envolvendo um ônibus, um microônibus e um automóvel, na altura do número 428 da Avenida Senador Teotônio Vilela, em Interlagos, zona sul da capital paulista.

Fonte: http://oglobo.globo.com/sp/transito/mat/2006/12/08/286958938.asp

Um amigo meu, um dia me disse o seguinte: O que mata mais é um revolver ou um carro??
Eu disse a ele que seria o revolver e ele me disse: ERRADO! O revólver só mata se ele for acionado, agora o carro não é necessário apenas acioná-lo, é necessário apenas uma desatenção para matar.Ou seja o carro já é uma arma em potencial, imaginem então um Micro-ônibus??
Em minha pesquisa, eu diria o seguinte: Quase todos os dias há acidentes com lotações. Por-que a SPTrans não toma providências?? Resposta: O número de agentes é insuficiente. Porque o poder público não faz algo?? A quem interessa tantos acidentes?? Se há treinamento porque não é seguido esta cartilha??

Minha conclusão: Existe omissão em uma das partes. Não adianta treinarmos o motorista e ele não seguir a cartilha de boa conduta que tem que ser aprendido desde o primário, e não apenas na auto-escola. Uma amiga minha disse que estas campanhas não resolvem muita coisa, mas eu disse a ela, pode ser que não resolva, mas se ao menos uma única pessoa aprendeu os conceitos da campanha Travessia segura, com certeza cumprimos nossa nobre missão.
Sei que no nosso blog existem alguns amigos que são motoristas e cobradores e a mensagem que tenho para eles, falem aos colegas sobre se conscientizar.Dêem preferência à vida, sejam prudentes na condução dos seus automóveis, sejam mais pacientes, pois a pressa pode colocar tudo à perder.Bom pessoal, poderia continuar meu lamento à quebra da capa de lanterna esquerda, perdi R$ 15 reais,mas bola para frente, poderia ser pior, já pensou se eu atravessasse a rua e eu fosse vitima de acidente?.Sinceramente o que se espera dos motoristas, é consciência e amor ao próximo, pois todos tem dificuldades para conquistar seus sonhos e temos que ser solidários porque vivemos na vida o poder da ação e reação, o hoje e o amanhã.
Muitos reclamam das multas, mas a única arma para vencermos de vez o talão de multas, é a consciência e a sensatez.
Um recadinho à São Paulo Transporte: MAIS FISCALIZAÇÃO NAS RUAS.
Um recadinho à Prefeitura de São Paulo: MAIS CONTRATAÇÃO DE AGENTES DE TRÂNSITO TANTO NA CET QUANTO NA SPTRANS..Kassab, libera os concursos

Marcos Galesi

Dica: O que fazer em caso de acidente automobilístico?

Em caso de acidente SEM vítima
Os agentes de trânsito que comparecerem no local, poderão fazer a ocorrência dos fatos.
Independente disto, por cautela, você deverá providenciar uma ocorrência policial, relatando o seu depoimento sobre o acidente.
Para cobrar seus direitos você deverá interpor a ação na Esfera Civil cobrando os gastos que teve com o veículo (conserto do veículo e lucros cessantes).
Em caso de acidente COM vítima
Obrigatoriamente deverá ser chamada a Polícia Militar. Fique atento à forma como os fatos foram relatados na ocorrência feita no local. Caso não concorde, manifeste a sua inconformidade.
Após a vítima deve ser encaminhada para fazer o exame de corpo de delito, no IML nos hospitais, caso seu município não o possua.
Caso haja interesse em penalizar criminalmente o causador do dano, deverá a vítima providenciar a representação criminal contra o causador na vara ou juizado criminal e nas delegacias no interior, no prazo máximo de 6 meses a partir do evento.

Procedimentos Necessários
Saiba o que fazer para garantir seus direitos.
Na hora do acidente tome nota desses dados e facilite o processo judicial.
• Testemunhas
Pelo menos duas testemunhas, anotando seus nomes, endereços e telefones.
Também é válido anotar o local exato onde se encontrava cada testemunha no momento do acidente.
• Data e horário do acidente
Identificação do motorista causador do acidente
É importante verificar se ele é o proprietário do veículo que conduzia.
• Identificação do local do acidente
Exemplo: Rua Florêncio Ygartua, esquina com a Mostardeiro, em frente à Pro-Consumer, sentido único, sem faixa de segurança, sem semáforo.
• Condições do tempo no dia
Condições da pista
Exemplo: Molhada, com areia.
• Velocidade aproximada de cada veículo
Condições gerais do veículo causador do acidente
Identificação do outro veículo
Levantamento fotográfico
Tire fotos que mostrem os fatos, o local e a situação dos veículos envolvidos.
• Levantamento topográfico
Feito pelo policial, ou pelo próprio condutor, mostrando o lugar e as posições dos veículos envolvidos.
Após o acidente é necessário
• Registro de ocorrência
É a prova oficial e material do fato, sendo imprescindível para a ação de reparação de danos.
• Providenciar orçamentos
Estimativa de quando vai custar o conserto do carro, sendo pelo menos de 3 oficinas. Este procedimento é necessário para entrar com uma ação contra o causador do acidente.

Seus direitos em caso de acidente SEM vítima:
Podem ser cobrados todos as despesas pessoais incluindo as do conserto do veículo, bem como as originadas pelo não uso do mesmo enquanto estiver no conserto (lucros cessantes e danos emergentes).
Seus direitos em caso de acidente COM vítima:
Caso não haja acerto entre os envolvidos, o causador do acidente deverá responder pelos prejuízos causados. Você poderá entrar com uma ação na justiça cobrando:
Gastos pessoais, conserto do veículo, lucros cessantes, dano moral, dano estético, dano psíquico, pensão vitalícia.
Guarde essa informação: Se o valor dos danos for inferior a 40 salários mínimos, a ação poderá ser proposta no juizado especial, podendo esta ser resolvida dependendo da carga de processos.

E O SEU VEÍCULO?
O acidente teve vitima?
Caso haja vítima, ou se o condutor estiver embriagado o veículo será apreendido pela Polícia Militar.
O acidente não teve vitima?
No caso de envolvimento em um acidente de trânsito, verificando os agente que há pendências quanto ao pagamento de impostos referentes ao seu veículo, este será apreendido pela autoridade competente e encaminhado a um depósito.
Neste caso o usuário deverá procurar o órgão autuador para que seja expedida uma liberação de saída do veículo que deverá ser entregue ao proprietário ou fiel depositário do bem.
Realizada esta etapa, o usuário deve se dirigir ao depósito de veículos para a verificação dos débitos oriundos do mesmo, tento pertinente a remoção e diárias, quanto aos débitos relativos aos tributos devidos para o licenciamento daquele.
O depósito expedirá uma guia contendo estes valores para que seja efetuado o pagamento nas agências dos bancos conveniados ou para o próprio depositário que deverá recolher o valor na rede bancária, no dia subseqüente, sob pena de responsabilidade.
Apresentando a guia de regularização e débito devidamente paga, o depositário realizará a consulta no sistema do DETRAN e após confirmar os dados de pagamento efetuará a saída do veículo do sistema.
Fonte: http://www.marica.com.br/2005b/2806drdaniel.htm

Após pequenos acidentes de trânsito, retire seu veículo do local

Depois de haver um acidente de trânsito, o que fazer com os veículos que se envolveram na colisão? A resposta tem discordância dos dois órgãos responsáveis pelo trânsito. A Autarquia Municipal de Transito Serviços Públicos e de Cidadania (AMC) cita o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que trata das infrações em seu capítulo XV. De acordo com o CTB, é infração média, sujeita a multa, “deixar o condutor, envolvido em acidente sem vítima, de adotar providências para remover o veículo do local, quando necessária tal medida para assegurar a segurança e a fluidez do trânsito“.
É no Código que a AMC se baseia para retirar da via os veículos envolvidos na colisão, cita o coronel Gilson Liberato, chefe da Divisão de Operações e Fiscalização da AMC. Ele acrescenta que os agentes da Autarquia marcam no chão com tinta o local onde houve o acidente. Mas o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) alega que a retirada dos veículos prejudica o trabalho da perícia, que pode ter dúvidas sobre como ocorreu o acidente. “A AMC está prejudicando o nosso trabalho tirando os carros do local. A AMC vai para controlar o trânsito“, argumenta o chefe da perícia do Detran, Estanailton Alencar.
Segundo o superintendente do Detran, João Pupo, é necessário haver um acordo com a AMC quanto a esse procedimento. “A gente precisa evoluir nessa discussão com a AMC. Em última análise, esse serviço de perícia deve fazer parte do pacote de municipalização. Assim, deveria ser realizado pelos municípios. Como o trânsito de Fortaleza é municipalizado, quem tem competência de gerir é a AMC“, comenta o superintendente.
E-MAIS
EQUIPAMENTOS

• Segundo o superintendente do Detran/CE, João Pupo, há um projeto para aquisição de equipamentos que foram lançados recentemente na Europa que ajudaria o trabalho da perícia.
• Esses equipamentos filmam a localização dos veículos depois do acidente e projetam as imagens em três dimensões (3D). O perito, depois, veria essas imagens e obteria suas conclusões acerca da colisão.
• A previsão é de que, se der certo, esses equipamentos cheguem ainda em 2010 ao Ceará. Seria o primeiro estado brasileiro a adotar o equipamento, que foi desenvolvido na Alemanha e, atualmente, é usado em toda a Europa.
• De acordo com João Pupo, o tempo do trabalho da perícia cairia muito. Passaria dos atuais 40 minutos para cerca de cinco.
Peritos

• O superintendente admite que o efetivo de peritos ainda é reduzido, mas a modernização da frota de veículos ajudou bastante os trabalhos.
• João Pupo acrescenta que está havendo um reforço no efetivo, com a chegada de servidores do antigo Dert, o Departamento de Edificações, Rodovias e Transportes. Além disso, ele cita que foi feito recentemente um curso de peritos, que formou 30 novos profissionais.
SAIBA MAIS

• A AMC também pode fazer um laudo sobre o acidente. O documento tem credibilidade jurídica e pode ajudar os trabalhos do Detran, como informa o coronel Gilson Liberato, chefe da Divisão de Operações e Fiscalização da AMC.
• De acordo com Estanailton Alencar, chefe do setor de perícias do Detran, em 1981, eram 27 peritos e a frota de veículos no Estado chegava a 150 mil. Atualmente, são 17 peritos para uma frota de 1 milhão e 400 mil carros.
Fonte: Uol/O Povo/http://www.pichilau.com.br/dicas/11-Apos_pequenos_acidentes_de_transito,_retire_seu_veiculo_do_local#ixzz1V4CKyZuy

DICAS DE TRÂNSITO
Dirigir na chuva

Ao dirigir sob chuva, o motorista enfrenta problemas que vão desde a falta de visibilidade até o risco de aquaplanagem, aquele fenômeno que ocorre quando as rodas perdem o contato com o solo, fazendo o carro esquiar perigosamente sobre a lâmina d’água que corta a pista. Para reduzir o perigo, o condutor deve deixar o carro com toda a manutenção em dia. Saiba como se tornar um verdadeiro capitão, para levar seu “navio” com segurança até o porto.
AQUAPLANAGEM
As lâminas d’água que cruzam a pista podem fazer com que o carro perca o contato com o solo e passe a deslizar, completamente sem controle, transformando o motorista em mero espectador. Trata-se de uma situação extremamente perigosa, pois existem grandes chances de o carro sair da pista, ir de encontro a outro veículo, árvore, poste ou cair em uma ribanceira. Quando o veículo aquaplana, deslizando sobre a água, não resta muito a fazer, além tirar o pé do acelerador, manter (segurar firme) o volante em linha reta e rezar.
Alguns cuidados podem ajudar a evitar que isso aconteça: manter os pneus em bom estado, com sulco acima de 1,6mm, pois são responsáveis por drenar a água; e reduzir a velocidade (abaixo dos 80km/h). É importante dizer que a aquaplanagem acontece principalmente em estradas planas e bem pavimentadas. O problema mais grave da aquaplanagem é que nem sempre as duas rodas dianteiras saem ao mesmo tempo da lâmina d’água, ou seja, uma das rodas recupera o atrito com o solo antes da outra. Isso acaba puxando o carro para um dos lados, provocando um acidente (veja ilustração).
SEM ATRITO
Depois de um trecho alagado, se você precisar parar, existe um grande risco de batida, pois os freios podem não funcionar, já que os componentes estão molhados e não há atrito entre eles. Como resolver? Engrene uma marcha forte (primeira ou segunda) e rode uns 30 segundos pisando fundo no acelerador com o pé direito e firme no pedal do freio com o esquerdo. O atrito entre as peças vai provocar calor que vai secar as pastilhas, discos, lonas e tambores.
MISTURA FATAL
Chuva e pneus “carecas” é uma receita para quem tem pouco amor à própria vida e à dos outros, pois as chances de um grave acidente são muito grandes. Os sulcos do pneu são responsáveis pela drenagem da água, garantindo a aderência. Se ele estiver liso, o veículo fica com a estabilidade bastante reduzida e pode derrapar facilmente, até mesmo em curvas feitas em baixa velocidade. Rodar com pneus desgastados (com sulcos abaixo de 1,6mm) também pode gerar multa.
ÁGUA NO MOTOR
É preciso muito cuidado ao transpor trechos alagados, pois a água pode entrar no motor e provocar o chamado “calço hidráulico”, cujo conserto é caro e não tem garantia. O que ocorre é que a água entra, pelo sistema de captação de ar do motor, na câmara de combustão e no interior dos cilindros. Ao tentar subir, o pistão encontra a enorme resistência da água, que, diferente do ar, é pouco compressível. O enorme esforço do pistão provoca o empenamento das bielas, ocasionando o calço hidráulico e, consequentemente, o travamento do motor. Como o reparo geralmente inclui troca de pistãos, bielas e válvulas, o serviço é muito caro (dependendo do carro, pode passar dos R$ 10 mil).
Como fugir do “calço hidráulico”: evite passar por locais muito alagados, pois é melhor perder algum tempo do que ter um prejuízo enorme; se realmente tiver que atravessá-lo, engate a segunda marcha e mantenha uma aceleração média e constante (em torno das 2.500rpm), pois isso vai evitar que a força de aspiração do motor seja muito alta, a ponto de puxar água para dentro do motor, e fazer com que o volume de gás expelido pelo propulsor seja suficiente para impedir a entrada de água pelo escapamento; e se o motor apagar durante a travessia, a primeira recomendação é não tentar fazer com que ele funcione (nem ‘no tranco’ e nem na chave), sendo que o melhor a fazer é colocar a alavanca de marchas em ponto morto, empurrar o veículo até um local seguro e chamar um reboque, para que seja feita uma análise mais detalhada em uma oficina.
VARRENDO BEM
Se as palhetas dos limpadores do para-brisa e do vidro traseiro não estiverem em bom estado, o motorista certamente terá muita dificuldade para enxergar, em caso de chuva forte, pois elas não vão remover corretamente a água. Geralmente, as palhetas costumam durar cerca de um ou, no máximo, dois anos, e devem ser substituídas aos pares, mesmo que uma esteja em melhor estado do que a outra. Na hora da compra, deve-se ter o cuidado de ler com atenção a embalagem, verificando o código e a lista de veículos a que se destina o jogo, pois as palhetas costumam mudar de ano para ano, mesmo sem alterações no vidro. A substituição é simples e pode ser feita facilmente, com uma chave de fenda pequena.
RESERVATÓRIO
É fundamental abastecer o reservatório do limpador do para-brisa e do vidro traseiro, que geralmente fica no compartimento do motor. Ainda tem motorista que insiste em abastecê-lo com uma mistura de água e detergente comum. Isso ataca a pintura e a própria borracha da palheta. Existem produtos específicos para essa função, que removem com eficiência toda a sujeira que vem da pista (óleo, areia, barro etc.).
FARÓIS
Devem estar sempre regulados, com chuva ou sol. Quando começar a chover, o motorista deve acender os faróis baixos, mesmo durante o dia. Ao parar em um posto, ele deve limpá-los, pois a sujeira reduz de forma significativa a sua capacidade de iluminação, além de alterar a trajetória dos fachos.
Fonte: Eduardo Aquino – Estado de Minas

Marcos Galesi é vice presidente do movimento Respira São Paulo e integra o movimento de Defesa do Trólebus

About these ads
Esse post foi publicado em Na Rede e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

10 respostas para OS MOTIVOS DA IMPRUDÊNCIA

  1. galesitransportes disse:

    Espero que os amigos possam desfrutar bem desta matéria e solicitar que muita gente possa acessar esta matéria.

  2. Gustavo Cunha disse:

    Bom dia.

    Há muito, os danos causados por acidentes de trânsito, são tratados com desdém, até porque, o que não é tratado com desdém hoje em dia ? MAS, bastaria que, HOUVESSE PUNIÇÃO QUE DOESSE NO BOLSO, DE VERDADE, para que os “cidadãos” se comportassem.

    Reconheçamos, falta muita educação nos dias de hoje.

    Abraços e se cuida Galesi.

  3. Luiz Vilela disse:

    Caro Galesi
    São muitos itens importantes que podem salvar vidas.
    Mas só acredito nisto tudo funcionando com trânsito e mobilidade sendo ensinados DESDE A ESCOLA PRIMÁRIA, com provas eliminatórias, etc. Juntamente com DIREITO CIVIL; adaptado para ser ensinado, da mesma forma, desde a escola primária.
    Não adianta ensinar e cobrar todos estes conceitos em auto-escolas e reciclagens em DETRANS e CIRETRANS. Só serve para arrecadar R$ em multas, que comprovadamente não educam.

    • galesitransportes disse:

      Amigos Gustavo Cunha e Luiz Vilela

      Aonde posso assinar, autenticar e referendar???
      Concordo plenamente com suas opiniões, e sou a favor para que haja educação de trânsito desde o primário e que cada ano exista reciclagem de todos os motoristas sem excessão até para que lembrem-se dos conceitos do que é ser CIVILIZADO NO TRÂNSITO.

  4. Sugel disse:

    Segundo ele o passageiro que estava ao seu lado apresentava um quadro sonolento quando de repente deitou no seu colo causando espanto e assustando o condutor resultando na batida do carro..Policias Militares que atenderam ocorrncia confidenciaram ao portal Cadaminuto que essa verso apresentada pelo condutor no confivel no entanto como no h provas no se pode realizar qualquer tipo de julgamento..No veculo se encontravam quatro pessoas que foram socorridas e encaminhadas ao Hospital Geral do Estado HGE ..O portal Cadaminuto fotografou dentro do veculo latas de cerveja e um balde trmico com bebidas alcolicas …

  5. Paulo Gil disse:

    Galesi, boa noite

    Olha, eu sou mais prático.

    1) Cade o GPS da SPTrans para localizar este carro que bateu no seu carro, entendo que a localização é obrigatória, mas…

    2) Sampa não tem mais solução temos 1 litro de água para colocar num copo de 250 ml, sem chances de qualquer natureza;

    3) Temos de ultrapassar um ciclista a 1, 5 m de distância do mesmo; agora eu pergunto: Como fazer isto?

    Será que ninguém sabe que isto é “matematicamente impossível”, quando há tráfego em todas as pistas, nem Pitágoras consegue resolver esta questão.

    5) Outro dia vi um carro de auto escola que estava escrito “Treinamento para Habilitados”, só no Brasil que um “habilitado” é treinado.

    Eu pergunto: Está ou não habilitado????

    Só rindo memso.

    6) Ontem um buzao gerenciado pela EMTU atravessou o farol vermelho na “cara dura” e na minha cara e parou em seguida, eu bati na lataria do Buzão e aplaudi o motorista ( se é que pode ser chamado de motorista e olha que é a profissão dele só; porque profissional ele não é, não poder ser e nunca será).

    7) Quantos motoristas analfabetos funcionais tem no Brasil.

    8) Hoje na Av. Rebouças tinha 02 cilcistas atravessaram (em cima da bike) em cima da faixa de ciclistas ah não faixa de pedestres ( rsssss esqueci). Isso pode???

    Por que não voltar a exigir placas nas bikes como antigamente, ai quando eles atravessam (em cima da bike) na faixa de pedestres, multa neles.

    Os ciclistas querem e muito serem respeitados; mas eles respeitam alguém?????

    Bicicleta em Sampa tem é de ser proibido, só não encherga quem não quer, não há condições de bicicletas andar pelas ruas de Sampa, em ciclovias tudo bem, mas do jeito que está…

    Multas todos sabem aplicar, mas habilitar os motoristas de acordo NUNCA.

    Punir não adianta, pois se não conseguimos gerir um corredor rebouças como gerir
    “n” motoristas.

    No final do ano passado rodei 3401 Km e fiquei abismado de tanto acidente com
    caminhão que eu vi e olha que muitos esles sairam da pista sozinhos, mandei
    um e-mail questionando a ANTT; você respondeu? Nem eles.

    Por essas e outras meu amigo, só nos resta dar seta para esquerda e seguir em frente,
    e salve-se quem puder.

    É chover no molhado.

    Muito obrigado
    Paulo Gil

  6. Ricardo disse:

    Fui vitima dessa imprudencia, no meu caso o motorista parou, se desculpou, disse que estava errado, porém dois dias depois a conversa mudou e estou com medo de arcar com o prejuízo de um acidente não causado por mim.

  7. marcondes disse:

    há 2 anos não ia em sp, fiquei surpreso com o que vi: motoristas de lotação respeitando o lim. de vel. 60 km.cobradores em silêncio…antigamente era uma gritaria. pq. a SPTRANS demorou tanto pra instalar marcador de velocidade digital dentro dos ônibus??? teria evitado muitos acidentes. mas, antes tarde que nunca. parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s