MAUÁ INICIA NOVO SISTEMA DE TRANSPORTES NO ZAÍRA

ônibus no Termonal novo o Zaíra em Mauá

Passageiros desembarcam dos ônibus que servem os bairros, que agora têm intervalos menores , e aí entram em veículo que segue para a região central de Mauá. Horários entre alimentadores e troncal são programados para serem sincronizados e não haver longas esperas no terminal do Zaíra que começou a operara nesta quinta-feira, dia 23 de junho. FOTO: ADAMO BAZANI

Mauá inicia operações de transportes com sistema tronco alimentado
Passageiros do Zaíra ainda tinham dúvidas ainda em relação ao funcionamento do sistema, mas ganho de tempo na viagem foi considerada a principal vantagem
ADAMO BAZANI – CBN
Um dos grandes desafios dos gestores e operadores de transportes públicos em médias e grandes cidades é oferecer um maior número de viagens, com o sistema fincanceiramente viável, sem aumentar de maneira desproporcional a quantidade da frota.
Entra neste desafio também a questão do trânsito, cada vez mais complicado em qualquer cidade brasileira.
Assim, não adianta apenas aumentar o número de ônibus se estes vão ficar parados nos congestionamentos praticamentre um atrás do outro.
Os corredores de ônibus, que dão prioridade aos transportes coletivos, que proporcionalmente atendem mais pessoas em menos espaço e com quantidade menor de veículos, são uma das alternativas para não deixar os ônibus que transportam de 70 a 100 pessoas preso no trânsito ao lado dos carros que levam apenas seu condutor ou no máximo um acompanhante.
Mas o crescimento das cidades ao longo do tempo foi desordenado. A quantidade de moradias, ocupações regulares ou não, se expandiu num ritmo muito maior que qualquer sistema viário.
Em vários casos, para fazer corredores de ônibus ou outros tipos de meios que privilegiam os transportes coletivos, como o VLT ou monotrilho, as cidades gastam fortunas em desapropriações. O que não deixa de ser errado, já que na verdade o espaço maior para o transporte público nada mais é que a recuperação de um déficit urbano histórico.
Mas há cidades que não têm condições, financeiras e estruturais, de realizarem desapropriações e construírem corredores de ônibus, por exemplo.
Mesmo com o trânsito cada vez mais complicado, a demanda de passageiros de transportes públicos aumentando assim como a frota de ônibus, é possível, oferecer um serviço de transporte coletivo mais racional, prático e rápido, apesar da ausência de corredores exclusivos para ônibus, que são considerados modelos ideais.E para isso não são necessários grandes investimentos que prejudiquem as finanças da população, do município e das operadores de transporte. Basta usar os recursos operacionais atuais de maneira mais prática e distribuindo melhor a oferta de transportes diante da demanda.
O sistema tronco-alimentador do Zaíra, em Mauá, na Grande São Paulo, é um exemplo disso.
O funcionamento das linhas alimentadoras (dos bairros) e troncal (que sai de um terminal local e vai para a região central) assim como o Terminal do Zaíra, na Avenida Presidente Castelo Branco, a principal via desta região, começaram a operar nesta quinta-feira, dia 23 de junho de 2011.
Três linhas de ônibus que ficavam presas no trânsito, principalmente nos horários de pico, passaram a ter um itinerário menor ligando seus bairros ao Terminal Tronco-Alimentador do Zaíra, que na verdade, opera como uma estação de transferência.
São elas Zaíra 3, Zaíra 5 e Zaíra 6. Por não pegarem mais longos trechos de trânsito complicado e agora cumprirem um itinerário menor, elas conseguem realizar mais viagens dentro dos bairros, o que diminui o tempo de espera assim como as possibilidades de atrasos.
Essas linhas receberam novas numerações: T 83 (Zaíra 3), T 85 (Zaíra 5) e T 86 (Zaíra 6).
Os passageiros destes serviços desembarcam dos ônibus menores (micros e micrões) e embarcam em veículos de maior porte, da linha troncal T 80 (Terminal Centro – Terminal Zaíra).
O fato de um ônibus transportar a demanda das 3 linhas de bairro não implica desconforto para o passageiro. Isso porque os ônibus de linhas troncais são grandes, com maior capacidade de passageiros, e também porque as outras três linhas não transportam o mesmo número de pessoas que transportariam se fossem até o centro. Esta demanda é absorvida pelos ônibus articulados.

Com um ônibus grande indo para o centro da cidade, no lugar de vários pequenos, a cidade ganha em relação ao trânsito. São menos veículos nas principais avenidas transportando a mesma quantidade de passageiros. É questão de melhor aproveitamento do espaço urbano, tão desperdiçado nos dias de hoje, principalmente quando o transporte individual recebe a mesma ou até maior prioridade nas ruas e avenidas.
Com menos ônibus transportando a mesma quantidade de passageiros, é possível realizar também mais viagens.
Os índices de poluição e ruído na região central e nas principais ruas e avenidas também são diminuídos.
Outro ponto importante é que muitas pessoas que saem da região do Zaíra, em Mauá, têm como destino final o Terminal Central da Cidade, de onde normalmente ficam no centro da cidade ou partem para outros municípios do ABC Paulista ou para a cidade de São Paulo, principalmente pelos trens da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.
Sendo assim, para atender a esta demanda de maneira mais rápida, nos horários de pico somente nos dias úteis, há uma linha expressa, que sai do Terminal do Zaíra, passa por vias menos congestionada, e não faz paradas no meio do caminho, parando apenas no Terminal Central de Mauá.
A viagem de 20 minutos com a linha que para nos pontos no meio do trajeto pode ser reduzida para 12 minutos se o passageiro que vai para o Terminal Central de Mauá optar pela linha expressa.
Os horários e dias de operação da linha expressa futuramente podem ser ampliados.
RESULTADOS PRÁTICOS:
Os intervalos das linhas Zaíra 3, Zaíra 5 e Zaíra 6 foram reduzidos.
Para se ter uma ideia, em horários de pico estes intervalos entre um ônibus e outro que eram de 15 minutos caíram para 10 minutos.
O trajeto da linha troncal também é relativamente curto o que faz os intervalos caírem também. Em horários de pico, a linha troncal tem intervalo estimado de 5 minutos entre um carro e outro e a linha expressa terá intervalos de 15 minutos.
Fora do horário de pico a linha expressa não funciona e a linha troncal apresenta intervalo de 10 em 10 minutos.
Nos bairros que foram a região do Zaíra, a Leblon atende aproximadamente 8 mil passageiros por dia. Apenas pelo novo terminal devem passar cerca de 4 mil usuários.
O sistema fica mais racional diminuindo os custos de operação. Com essa diminuição nos custos, tanto a empresa como o poder público podem usar essa economia para melhoria do sistema, como aprimoramento de abrigos, de sistemas informatizados de gestão e fiscalização e a constante manutenção e renovação da frota.

Novo Terminal de ônibus no Zaíra

Ônibus articulado transporta os passageiros do Terminal do Zaíra até o Terminal Central de Mauá. Ele pode substituir até 3 ônibus de pequeno porte sem prejudicar o conforto dos passageiros. Com menos ônibus indo para o centro, a cidade ganha com menos trânsito e poluição. FOTO: ADAMO BAZANI

LINHA ZAÍRA 4:
A linha Zaíra 4, que vai até a garagem da “Princesinha”, em Mauá, que desde o início da Leblon na cidade tinha ônibus articulados não sofre alterações.
Os intervalos e itinerários serão praticamente os mesmos.
Mas o passageiro deve estar atento.
Apenas nos horários de pico, quando a frota da linha troncal é maior, os ônibus da linha Zaíra 4 não vão entrar no novo terminal aberto no Zaíra nesta quinta-feira, dia 23 de junho.
Fora dos horários de pico, aos sábados, domingos e feriados a linha Zaíra 4 entra no Terminal e também é mais uma opção para quem vai até o centro de Mauá.
PRIMEIROS IMPACTOS NOS PASSAGEIROS:
No primeiro dia de operação do sistema tronco-alimentador do Zaíra, alguns passageiros estranharam e se mostravam confusos.
Alguns não sabiam da mudança e outros não estavam adaptados a descerem de um ônibus para embarcarem gratuitamente no outro.
Apesar das dúvidas, o início das operações do novo sistema foi tranquilo, transcorrendo sem incidentes.
Funcionários do Grupo Leblon Transporte de Passageiros orientavam nos embarques e desembarques e ouviam reclamações e sugestões dos usuários.
Os horários dos ônibus alimentadores com o troncal foram sincronizados para o passageiro não ficar muito tempo esperando no novo terminal.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

About these ads
Esse post foi publicado em Notícia e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para MAUÁ INICIA NOVO SISTEMA DE TRANSPORTES NO ZAÍRA

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite

    Só posso dizer:

    Parabéns Adamo, Mauá e Leblon.

    Isso demonstra que o “jeitinho brasileiro” funciona,
    além da inteligência, boa vontade e principalmente
    TRABALHO.

    Sucesso a todos!

    Muito obrigado

    Paulo Gil

  2. Carlos disse:

    Parabéns pela matéria Adamo !
    A Leblon está de parabéns, melhorando e inovando cada vez mais o transporte de Mauá.

  3. Obrigado pessoal pelos comentários e perlo prestígio à matéria e ao nosso trabalho.

    Realmente os transportes de Mauá precisam de melhorias há muito tempo. Elas, no entanto, não podem ocorrer do dia para noite. Por exemplo, no caso do Terminal Zaíra e de sua operação, ainda há pontos que podem ser melhorados: escalas, espaço do terminal, tempo de manobra dos ônibus alimentadores, mas o emprenho do pessoal da empresa para minimizar tais problemas é grande.

    O passageiro de início reclamou um pouco, princialmente pelo fato de ter de descer de um ônibus e embarcar em outro, mas quando ele perceber a redução do intervalo dentro dos bairros, pelos ônibus fazerem mais viagens decorrentes de um trajeto mais curto, e da viagem mais rápida do troncal, por ele enfrentar um trânsito um pouco melhor, o pessoal vai querer o sistema em outras regiões de Mauá, que é o que pretende o Secretário de Mobilidade Urbana.

    Abraços a todos.

  4. Roberto SP disse:

    Simples, prático e eficiente esse sisitema troncal, e como o Adamo disse na matéria muitas capitais brasileiras e do mundo aplicam esses sistema, menos a capital do estado de São Paulo em algumas regiões da cidade, bem mas isso é outr história, a Leblon está mostrando a que veio, parabéns Adamo, LEBLON e Prefeitura da cidade de Mauá.

  5. Gustavo Cunha disse:

    Oi para todos.

    Grande contribuição da Leblon. É preciso inovar e não fazer mais do mesmo.

    Em tempo, parabéns pela matéria Adamo.

  6. salomao jacob golandski disse:

    ola
    esta é um sistema muito bom , se for bem sincronizado entre o alimentador e o trocal
    muitas cidades do rgs estão adotando este sistema
    não resolve ir 6 onibus praticamente vazio onde juntando todos os passageiros caberiam
    num só .
    salomão

  7. Luis Eduardo disse:

    Ola meu nime é Luis eduardo morador do Jd Zaira 5,e gostaria de disser que no começo naõ gostei dessa mudança por não conhecer e não ter entendido esse sistema, agora que já utilizo esse sistema achei muito bom,é uma revolução no trasporte de mauá, parabens pela Leblon e a prefeitura de mauá. Que essa mudança possa ocorrer em toda a mauá ,principalmente no Guapituba,onde o transporte da barão é um lixo.

  8. martins disse:

    Isso fico foi (ruim) !!!!!!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s